25/09/2017

Contabilize – Contadores associados.



Total assistência a sua empresa! Agende seu horário conosco através dos números de telefone abaixo:



Alexandre Frota: (86) 9 9910-4690
Assis Gomes: (86) 9 9411-8872 / (86) 9 9830-1931
Demetryus Magalhães: (86) 9 8161-0238
Thays Carmelee: (86) 9 9854-0286
Ou procure nosso escritório na Rua Piauí, Nº 1605. Bairro Piauí.



A Contabilize – Contadores associados é um escritório de contabilidade que presta serviços de forma simples, rápida e eficaz, proporcionando ao empresário tranquilidade para gerenciar os seus negócios, concentrando-se no crescimento da sua empresa, sem se preocupar com os aspectos fiscais. Nossa missão é prestar serviços contábeis de qualidade e de forma eficiente, gerando um diferencial competitivo junto aos nossos clientes e colaboradores.



Utilizando tecnologia e um método de trabalho que prioriza rapidez e excelência no atendimento, realizamos serviços de abertura e encerramento de empresas, departamento fiscal, departamento pessoal, imposto de renda de pessoa jurídica e física.

Denise Stutz em Parnaíba pelo Palco Giratório



Depois de se apresentar em Teresina, a coreógrafa Denise Stutz apresenta nesta terça-feira (26) às 19h, o espetáculo Finita, no Teatro do Sesc Avenida, em Parnaíba. Classificação 14 anos. A entrada será 1 kg de alimento não perecível. 

Na passagem por Parnaíba, Denise Stutz participará de intercâmbio com o grupo Raízes do Nordeste, nesta quarta-feira (27), a partir das 8h, no Sesc Avenida. No último sábado (23) pela manhã, Denise ministrou a oficina “Corpo Presente” para uma turma de bailarinos, coreógrafos e estudantes de Parnaíba. As atividades aconteceram no Sesc Avenida. 

Finita é um drama 40 minutos que nasceu de um projeto de Denise Stutz iniciado em 2010. A partir de uma carta deixada por sua mãe, acometida de doença, a coreógrafa passou a refletir sobre o tempo, o fim das coisas e a pensar como falar do que não existe mais. “Qual a qualidade de um movimento que prenuncia a dança e que não dança mais que se dá a ver? Uma qualidade que não se mostra, sugere. Como construir a partir de uma brecha possível entre a presença e a ausência, entre o que ainda vive, mas já não existe mais.” 

Nesta terça-feira (26), às 19h, o grupo Raízes do Nordeste, de Parnaíba, apresenta o espetáculo “Berra Boi”, no Teatro do Sesc Avenida. A entrada é 1 kg de alimento não perecível. 

Assessoria de Comunicação 

Turista é lesionada com gargalo de vidro na praia de Atalaia em Luis Correia


Por volta das 14hs deste domingo (24), foi conduzido para central de flagrantes em Parnaíba, o turista procedente de Teresina, identificado como Marcos Antonio da Cruz, 42 anos, por ter lesionado com golpes de vidro (gargalo) a turista teresinense Renata Maria da Silva Timóteo.

O fato aconteceu próximo ao bar Sorriso das Ondas, na praia de Atalaia

O acusado fugiu de duas tentativas de abordagem policial na orla da atalaia em Luis Correia, com uso de viatura ostensiva, porém, uma guarnição composta pelo Capitão Lucas e o cabo J. Mendes, efetuou a prisão em flagrante com uso do GOL BRANCO descaracterizado, já na terceira investida policial.

A vítima foi levada ao hospital com dois ferimentos

Na sequencia para central de flagrantes para prestar queixa. 

Foi lavrado no cartório criminal daquela distrital, um Termo Circunstanciado de Ocorrência(T.C.O). em torno do caso. O acusado foi posto em liberdade.

Fonte: Portal do Catita

O PROCON municipal informa:


O Procon Municipal Parnaíba recebeu na manhã de hoje, dos gerentes das Agências Delta e Centro, do Banco do Brasil, a informação que a partir do dia 11.10.2017 haverá uma possível interrupção nos serviços das unidades do Banco Postal, ou seja, os Correios não oferecerão mais os serviços do Banco do Brasil em 1.836 agências em todo o país, passando a fazer exclusivamente a parte postal.

A possível interrupção está relacionada ao aumento de determinações judiciais que a obrigam a adotar medidas de segurança adicionais necessárias à prestação de serviços bancários, como contratação de vigilantes e instalação de portas giratórias.

Alegando passar por uma situação econômica delicada, a ECT se viu obrigada a encerrar atendimento bancário em diversas unidades, no intuito de minorar estes gastos que tornam a manutenção desses serviços inviável.

Serão impactados inicialmente 93 mil beneficiários cartonistas (não correntistas do Banco, que recebem benefício por meio de cartão). Eles serão informados sobre o novo pagador por meio de correspondência enviada pelo INSS e poderão entrar em contato pelo PREVFONE – telefone 135.


Ascom

Canal 13 do SBT foi recuperado em Parnaíba



Depois de mais de trinta dias fora do ar foi normalizado, desde a semana passada, o sistema de transmissão para Parnaíba do sinal analógico da TV Cidade Verde, canal 13 de Teresina. Durante o período em que o sinal analógico esteve fora do ar os parnaibanos captavam as imagens daquela emissora de nossa capital através do canal 28 que é digital.

Segundo Edilson Bacelar, um dos técnicos do Sistema de Retransmissão dos Canais de TV, da Prefeitura Municipal de Parnaíba, o canal analógico ficou fora do ar porque surgiram problemas nas torres de transmissão, mas que o fato foi comunicado para o setor de engenharia da emissora, em Teresina, que providenciou as peças necessárias e enviou para Parnaíba.

Ascom

Motociclista morre ao colidir com animal no litoral do Piauí

O corpo foi removido pelo Instituto Médico Legal de Parnaíba.



O corpo de Robison Barreto de Araújo, de 28 anos, foi encontrado por volta das 6h da manhã desta segunda-feira (25/09) a cerca de 1 Km da entrada do município de Ilha Grande do Piauí, na PI-210 no litoral do Estado. Ao lado estava caída a motocicleta modelo Bros de cor preta, que era conduzida por ele.

Segundo a Polícia Militar, a vítima residia na avenida Martins Ribeiro em Ilha Grande do Piauí e retornava pra casa no momento do acidente. Um amigo de Robison Barreto, que não quis ter o nome revelado, informou à reportagem do MeioNorte.com que na noite anterior ele havia ingerido bebida alcóolica.

Perícia Criminal fez o levantamento no local do acidente. (Crédito: Kairo Amaral)

Uma equipe do Instituto de Criminalística foi acionada para o local. Segundo a perita criminal Marcela Sampaio, pelos de animal foram encontrados na parte dianteira da moto o que pode comprovar que houve uma colisão antes da queda. Próximo do acidente alguns animais pastavam na vegetação. O corpo foi removido pelo Instituto Médico Legal de Parnaíba.

Robison retornava para casa. (Crédito: Arquivo Pessoal)

Pelos de animal encontrados na maneta da moto. (Crédito: Kairo Amaral)

Corpo foi removido pelo IML de Parnaíba. (Crédito: Kairo Amaral)

Fonte: Portal MN/Por Kairo Amaral

Matrículas UAPI: aprovados devem entregar documentos nos polos


Os candidatos aprovados para o curso de Administração da Universidade Aberta do Piauí (UAPI), que realizaram a matrícula online, devem agora comparecer ao polo do município para o qual foi aprovado e realizar a matrícula curricular, no período de 26 a 29 de setembro.

Nesta etapa são exigidos a entrega das cópias dos seguintes documentos, com seus respectivos originais para conferência:

a) Cédula de identidade;

b) Cadastro de Pessoa Física – CPF;

c) Certificado de Conclusão e Histórico Escolar do Ensino Médio ou equivalente, autenticado pela Secretaria de Educação

d) Declaração de que não esteja matriculado em qualquer Instituição de Ensino Superior, de acordo com a Lei nº 12.089, de 11 de novembro de 2009 – Anexo 7 do edital (PARA TODOS OS CANDIDATOS);

e) Comprovante de quitação com o Serviço Militar, para candidatos do sexo masculino maiores de 18 anos;

f) Comprovante de quitação junto à justiça eleitoral.

Conforme explicitado no edital, a matrícula não será, em nenhuma hipótese, realizada sem a apresentação dos documentos exigidos e o candidato que, por algum motivo, estiver impedido de comparecer ao polo para efetuar a matrícula, poderá fazê-la por terceiro com uma procuração e documentação do aluno aprovado.

Assessoria de Comunicação - UESPI

Em uma semana, Piauí registra 12 mortes violentas; sete tinham menos de 23 anos

Novo projeto do G1, em parceria com especialistas, monitora casos de violência. Levantamento registrou, no período de 21 a 27 de agosto, todos os homicídios, latrocínios e suicídios do país. 

 
IML faz recolhimento do corpo de um jovem (Foto: Catarina Costa/G1) 

O Piauí registrou 12 mortes violentas entre 21 e 27 de agosto. Foram 11 casos de homicídios e um suicídio, sendo a maioria das vítimas do sexo masculino e sete delas com faixa etária de 14 a 23 anos. Os números integram um levantamento nacional feito pelo G1, que é o ponto de partida de uma parceria com o Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da USP e com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. 

O projeto tem um nome: Monitor da Violência. Com uma série de iniciativas que envolvem reportagem e análise de dados, o projeto vai fazer o acompanhamento desses e de outros casos de violência no país. 

No Piauí, durante o período analisado, em apenas um caso a vítima era a mulher. A morte aconteceu no dia 21 de agosto, no bairro Parque Brasil II, na Zona Norte de Teresina. Uma grávida de gêmeos identificada como Dalcilane das Chagas Almeida, de 29 anos, foi assassinada a pedradas e facadas dentro de uma casa em c

 
Dalcilane foi encontrada morta em construção e teve o rosto desfigurado (Foto: Divulgação/Polícia Civil) 

No mesmo dia, o jovem Francisco Tiago Vasconcelos de Sousa, 19 anos, foi morto com um tiro na cabeça dentro de casa no residencial Firmino Filho, Zona Sudeste de Teresina. O principal suspeito é próprio cunhado da vítima. 

Outro vítima da violência no dia 21 de agosto foi Fabrício da Silva Freitas, de 21 anos, assassinado com pelo menos oito tiros dentro de casa no bairro Monte Verde, Zona Norte de Teresina. Segundo o policial, ele estava em liberdade condicional e usava tornozeleira eletrônica. 

O único caso de suicídio registrado também aconteceu no dia 21 de agosto em Parnaíba, Litoral do Piauí. O comerciante Otacílio Antônio da Silva, de 43 anos, foi encontrado enforcado em um cajueiro dentro de um cemitério situado no bairro Alto Santa Maria. 

Em Parnaíba, o jovem José Armando Vieira Sousa, de 16 anos, foi morto com um tiro no pescoço no dia 24 de agosto. O crime aconteceu na rua Campo Maior, bairro Bebedouro. A vítima chegou a ser socorrida, mas morreu no hospital. 

José Armando foi morto com um tiro no pescoço no Litoral do Piauí (Foto: Reprodução/Facebook) 

Mais um foi assassinado a tiros dentro de casa, desta vez na localidade Taboca do Pau Ferrado, zona rural de Teresina, no dia 24 de agosto. Jefferson Sousa de Carvalho, de 21 anos, foi encontrado em casa por volta de 20h, pelas mulheres com quem ele vivia. 

Carlos Henrique Silva do Rosário, 29 anos, estava na casa de um vizinho quando dois homens armados chegaram atirando. O caso aconteceu no dia 25 de agosto, no residencial Torquato Neto, Zona Sul. Os disparos atingiram a cabeça da vítima, que morreu no local. Ele já tinha passagens pela polícia. 

No dia 26 de agosto, o jovem Lucas Nascimento Lopes, de 22 anos, foi encontrado morto com o rosto desfigurado e cinco perfurações de bala pelo corpo dentro de uma escola desativada na rua Canindé, no bairro Parque Alvorada, Zona Norte de Teresina. Segundo a polícia, a vítima estava na companhia de um amigo, quando suspeitos de moto chegaram atirando. 

Mais um crime chocou Parnaíba. O adolescente Carlos Henrique de Moraes Oliveira, 14 anos, morreu no dia 27 após ser alvejado por homens de moto. Ele ainda foi levado para o Hospital Estadual Dirceu Arcoverde, mas acabou morrendo durante a madrugada. 

 
Carlos Henrique de Moraes Oliveira foi uma das vítimas (Foto: Reprodução/Facebook) 

Em Luzilândia, o jovem Kelcio Johnny Peres Nascimento, de 23 anos, foi espancado até a morte por populares no dia 27 de agosto na localidade Angelim, zona rural do município. Segundo a polícia, ele e um comparsa são suspeitos de roubar uma moto e o caso teria revoltado os moradores. 

Carlos Alexandre de Sousa, de 37 anos, foi assassinado no dia 26 de agosto com tiro no peito e outro nas costas, quando estava próximo de casa. Segundo a Polícia Civil, ele já havia sofrido uma tentativa de homicídio há pouco tempo e um adolescente é o principal suspeito.

Fonte: G1 PI 

Bando rouba R$17 mil e espanca empresário durante assalto


O empresário Juracy Barbosa sofreu um assalto violento no último sábado (23). Além de ter R$17 mil roubados, de acordo com a Polícia Civil, durante a ação ele ainda foi espancado pelos assaltantes. 

O crime aconteceu quando Juracy chegava na sua casa, localizada no Centro do município de José de Freitas, distante 48 quilômetros de Teresina. O empresário foi abordado por cinco assaltantes. Os bandidos desceram de uma Nissan Frontier e renderam a vítima sob a mira de um revólver. 

O bando entrou na casa do empresário e o forçou a dizer onde estava um cofre onde ele guardava dinheiro. Eles chegaram a arrombar portas da residência e também apontaram arma de fogo para a mãe de Juracy, uma senhora idosa.

O empresário trabalha com a venda de títulos de capitalização e tinha acabo de recolher o dinheiro das vendas dos bilhetes quando sofreu o assalto. 

“Havia aproximadamente R$17 mil guardados no local. Os bandidos provavelmente já sabiam da existência do cofre e levaram tudo”, contou ao Cidadeverde.com o agente da Polícia Civil, Gilvan Leite. 

Foto: Realidade em Foco

O agente disse ainda que o empresário sofreu lesões leves e foi orientado a fazer exames no Instituto Médico Legal. O caso está sendo investigado no 17º Distrito Policial e até agora não houve prisões. 

Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com

'Eu copio do meu jeito', diz Gleyfy Brauly ao Fantástico sobre letras de hits internacionais


O tecladista piauiense José da Cruz Silva, que a internet conheceu como Gleyfy Brauly, foi apresentado pelo Fantástico, da Rede Globo, como opção para compor o time de atrações do próximo Rock In Rio, e até mesmo do Carnaval de Salvador.

Com suas releituras de grandes sucessos da música internacional, ele conquistou o público pela irreverência e naturalidade, e chamou a atenção de artistas como o DJ Alok, e Nick Mason, baterista da banda Pink Floyd. Ambos compartilharam vídeos do piauiense em seus perfis, e elogiaram a performance de Gleyfy.

As letras das músicas, adaptadas para suas apresentações, ele baixa da internet, e as copia, para compor um catálogo cujo repertório já chega a mais de 1 mil canções.

"Eu copio do meu jeito", diz.

Na agenda de shows, apresentações marcadas para Uruguai, Paraguai, Chile, Venezuela e até Portugal. "Já comprei a mala, está lá em casa", ele avisa.

 

A repórter Neyara Pinheiro indago se o tecladista toparia se apresentar no carnaval em 2018, e ele garante que tem repertório suficiente. "Axé, rock, pop, reggae, macumba", brinca.

Na entrevista diz que não se importa com as críticas, e que sua essência é de um cantor humorista e brincalhão, que tem como objetivo passar ao mundo uma mensagem de felicidade.

A participação de Gleyfy no Fantástico foi sucesso nas redes sociais.


Fonte: 180 Graus/Edição: Portal PHB em Nota

Trabalhadores em situação análoga à de escravos no Piauí receberam carvão como pagamento, diz procurador

Segundo o Procurador Edno Moura, 22 trabalhadores foram resgatados de uma carvoaria no início do mês. Nos últimos 14 anos, no Piauí, quase 900 pessoas foram resgatadas. 

Pelo menos R$ 86 mil deixaram de ser pagos a 22 trabalhadores (Foto: Divulgação/MPT-PI) 

Vinte e dois trabalhadores em situação análoga à escrava no Piauí foram resgatados neste mês pelo Ministério Público do Trabalho do Piauí. Eles recebiam carvão como pagamento em uma carvoaria na cidade de São João do Peixe, no Sul do Piauí, segundo o procurador do Trabalho Edno Carvalho Moura. No total, os homens resgatados deixaram de receber R$ 86 mil, que ainda não foram pagos. Eles vendiam o carvão recebido, mas a renda não era equivalente à remuneração adequada. 

Este foi um dos casos que mais chamou atenção entre os registrados pelo Ministério Público do Trabalho do Piauí nas fiscalizações feitas em 2017. O resgate dos trabalhadores foi realizado no dia 1º de setembro deste ano e o valor total calculado para o pagamento dos trabalhadores é de R$ 86 mil que, dividido entre eles, resultaria em cerca de R$ 3,9 mil para cada um. 

"Eles não receberam pagamento em dinheiro durante todo o período em que prestaram serviços a uma certa empresa. A Procuradoria do Trabalho está em negociação na justiça para providenciar o ressarcimento para as pessoas que trabalhavam em condições análogas à de escravos", disse o procurador, que preferiu não informar qual a carvoaria. 

 
Grupo foi resgatado e ação na justiça tenta garantir o pagamento (Foto: Divulgação/MPT-PI) 

O procurador explicou que os trabalhadores vendiam o carvão a pequenos compradores, quando conseguiam, isso porque a pequena quantidade não tem valor de venda tão grande quanto a que é produzida pelas carvoarias. 

“Os empregadores conseguem um consumidor para o produto e este trabalhador dificilmente tem a mesma facilidade de comercializar carvão como o empregador, que já tem o comprador, as siderúrgicas, que compram em grandes quantidades pela demanda logística. Além desses 22 trabalhadores em uma carvoaria, também fizemos o resgate de 20 trabalhadores em situação de exploração na extração de madeira ”, destacou Edno. 

 
Procurador Edno Carvalho Moura, da Procuradoria Regional do Trabalho - 22ª região (Foto: Junior Feitosa/G1) 

No estado do Piauí, o procurador diz que os dados mais significantes do trabalho escravo estão relacionados à extração da palha da carnaúba, bem como extração de madeira e carvoaria, que sempre se destacou no quesito exploração. Ele destaca que as ocorrências de trabalho escravo são quase totalmente registradas no segundo semestre de cada ano. 

"As atividades de carvoaria e extração da palha não acontecem no primeiro semestre por conta das chuvas que dificultam este trabalho, no segundo semestre onde as atividades são mais intensas é quando ocorre o trabalho escravo", explicou. 

 
MPT tem reforçado a fiscalização nos locais de trabalho (Foto: Divulgação/MPT-PI) 

De acordo com o procurador Edno Moura, do Ministério Público do Trabalho do Piauí, a procuradoria tem recebido denúncias em outras áreas, como da produção de soja no sul do estado. Contudo, algumas denúncias não têm sido comprovadas. 

Ele contou ao G1 que a maioria das empresas não são clandestinas, mas registradas e tecnicamente regulares perante as exigências necessárias para atuar legalmente. Isso muitas vezes dificulta que os trabalhadores percebam que estão sendo explorados. 

“Quem é vítima de trabalho escravo às vezes nem percebe aquela situação, mas é possível identificar pelas condições ofertadas como, por exemplo, o trabalhador não ter acesso às instalações sanitárias adequadas, ou o alojamento estar em condições insalubres, sem conforto mínimo, a alimentação é inadequada e a água não é potável”, ressaltou. Ele cita ainda a carga horária exaustiva como um dos principais fatores que configuram o trabalho escravo. 

Denúncias e resgates
Nos últimos 14 anos foram resgatadas cerca de 900 pessoas no Piauí, estado que ocupa o 2º lugar no ranking regional de ocorrências de trabalho escravo e o 12º no nacional. A cidade de Redenção do Gurguéia é a que registrou mais resgates no estado. Mais dados estão disponíveis no Observátorio Digital do Trabalho Escravo

Segundo o procurador Edno moura, os casos na produção de carvão são mais frequentes do Centro-Sul ao extremo-Sul do Piauí. Ele explicou ao G1 que a extração da palha de carnaúba é realizada do Norte ao Centro-sul e os empregadores têm buscado alternativas para fugir da fiscalização. 

"Em 2014 foram realizados 160 resgates, em 2015 diminuiu para 60, já em 2016 reduziu para cerca de 30 e estamos vendo como ficará em 2017. Tínhamos muita migração de empregadores e trabalhadores vindos do Ceará para extrair a palha mas, devido ao maior enfrentamento no Piauí, eles estão indo para estados onde o enfrentamento é menor, como Maranhão, às margens do Parnaíba, e no estado da Bahia, próximo a São Raimundo Nonato", pontuou.

Fonte: G1 PI 

PREG/UESPI divulga edital de Transferência Externa 2018.1


A Universidade Estadual do Piauí – UESPI por meio da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação – PREG torna pública a disponibilidade de vagas para transferência externa, em seus diversos Cursos de Graduação, conforme quadro demonstrativo anexo, para ingresso no período letivo 2018.1, de acordo com o que estabelece a Resolução CONSUN 001/2008, que aprova o Regimento Geral da UESPI.

A solicitação de vaga ocorre no período de 28/09 a 06 de outubro de 2017, somente para o Curso/Campi relacionado no quadro de vagas do Edital. Para a solicitação, o candidato deverá dirigir-se ao Protocolo Geral da UESPI, no Palácio Pirajá, localizado na Rua João Cabral, Nº 2231-N, Bairro Pirajá, Teresina-PI, no horário de 8h às 13h, indicando, no Requerimento de solicitação de Transferência Externa, o Curso e o Campus relacionado no quadro de vagas.

O requerimento e a documentação exigida poderão ser encaminhados, via Sedex, ao Protocolo Geral da Universidade Estadual do Piauí, Rua João Cabral, No 2231-N, Bairro Pirajá, Teresina-PI, CEP 64002-150, desde que a data da postagem corresponda ao período de solicitação de vaga.

Para mais informações confira o edital e anexos

Assessoria de Comunicação - UESPI

Pesquisa aponta saídas para combater desigualdade no Brasil

Relatório aponta causas da desigualdade social e aponta soluções para melhorar a distribuição de renda e de 
serviços essenciaisFernando Frazão/Agência Brasil 

No Brasil, os seis maiores bilionários têm a mesma riqueza e patrimônio que os 100 milhões de brasileiros mais pobres. Caso o ritmo de inclusão no mercado de trabalho prossiga da forma como foi nos últimos 20 anos, as mulheres só terão os mesmos salários dos homens no ano de 2047, e apenas em 2086 haverá equiparação entre a renda média de negros e brancos. De acordo com projeções do Banco Mundial, o país terá, até o fim de 2017, 3,6 milhões a mais de pobres. 

Essas são as constatações do relatório A Distância Que Nos Une, Um Retrato das Desigualdades Brasileiras, divulgado nesta segunda-feira (25) pela Oxfam Brasil. A organização, que trabalha no combate à pobreza e à desigualdade, resolveu publicar pela primeira vez um estudo em que investiga, com base em vários dados, as raízes e soluções para um país onde se distribui de forma desigual fatores como renda, riqueza e serviços essenciais. 

De acordo com Katia Maia, diretora-executiva da entidade, o objetivo é divulgar um relatório anual sobre a desigualdade e mostrar os diferentes problemas do tema, como, por exemplo, o da tributação brasileira. “Nós pagamos muitos impostos. Mas não é que a nossa tributação é excessiva, na verdade ela é injusta. A gente está abaixo da média dos países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) [em termos de carga tributária]. Mas é uma tributação onde quem paga o pato é a classe média e as pessoas mais pobres”, disse. 

Tributação indireta 
O documento identifica falhas na forma como o imposto é arrecadado no Brasil, em contraste com outros países. Além da alta tributação indireta, há questionamentos à isenção de impostos sobre lucros e dividendos de empresas e à baixa tributação de patrimônio, que, com isso, acabam contribuindo para aumentar a concentração de renda dos mais ricos. 

A coordenadora do relatório defende que é possível que as autoridades brasileiras combatam fatores que impedem a tributação proporcionalmente igualitária, mesmo antes de uma necessária reforma tributária. Um deles é a evasão tributária, em que somente em 2016, segundo o Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda (Sinprofaz), deixaram de ser arrecadados R$ 275 bilhões. 

Como pontos positivos dos últimos anos, A Distância Que Nos Une credita ao mercado de trabalho o “principal fator” da recente redução da desigualdade de renda no Brasil. Com a estabilização da economia e da inflação nos últimos 20 anos, foi possível ao país investir na queda do desemprego, na valorização real do salário mínimo e no aumento do mercado formal. Há diferenças, porém, que ainda precisam ser enfrentadas, de acordo com o relatório. Ele também enumera dados sobre as já recorrentes diferenciações salariais entre mulheres/homens e negros/brancos que possuem a mesma escolaridade. 

“A média brasileira de anos de estudo é de 7,8 anos, abaixo das médias latino-americanas, como as do Chile e Argentina (9,9 anos), Costa Rica (8,7 anos) e México (8,6 anos). É ainda mais distante da média de países desenvolvidos”, indica o estudo, complementando que apenas 34,6% dos jovens de 18 a 24 anos estão matriculados em universidades, dos quais apenas 18% concluem o curso. 

Juventude negra e pobre é a mais afetada por barreiras educacionais 

“Em geral, a juventude negra e pobre é a mais afetada pelas barreiras educacionais. Baixo número de anos de estudo, evasão escolar e dificuldade de acesso à universidade são problemas maiores para esses grupos, que, não por acaso, estão na base da pirâmide de renda brasileira”, afirma. 

Para Katia Maia, a construção da sociedade brasileira é baseada em uma divisão entre cidadãos de “primeira e de segunda categoria. “Os números são muito fortes: 80% das pessoas negras ganham até dois salários mínimos, e estamos falando de 50% da população brasileira. A gente olha no nosso entorno e vê as bolhas de pessoas brancas, enquanto as negras são colocadas na periferia da cidade. É importante a gente debater e conversar sobre o racismo, mostrando que somos iguais. Esse déficit a gente tem de assumir, que somos país racista e enfrentar, buscar solucionar isso. É grave porque do jeito que estão colocados, os números falam por si, a gente quase não resolve isso nesse século”, alerta. 

Embora aponte uma “notável universalização do acesso à educação básica”, o relatório pede cuidados para lidar com a evasão escolar, especialmente em séries mais adiantadas. No que diz respeito a outros serviços essenciais, apesar de elogiar uma “importante expansão” nos últimos anos, o documento coloca como desafio a ampliação do acesso de mulheres e negros ao sistema público de saúde. 

O documento lembra - como exemplos de desigualdade - a situação de dois dos 96 distritos de São Paulo, a maior cidade brasileira: “Dados mais recentes dão conta de que, em Cidade Tiradentes, bairro de periferia de São Paulo, a idade média ao morrer é de 54 anos, 25 a menos do que no distrito de Pinheiros, onde ela é de 79 anos. Trata-se de um dado que resume como as desigualdades se manifestam de diversas formas, sempre a um preço muito alto para a base da pirâmide social no Brasil”. 

Com elogios à redução geral da desigualdade de renda e pobreza após a promulgação da Constituição Federal de 1988, o relatório considera ainda a retirada, nos últimos 15 anos, de 28 milhões de pessoas da pobreza e a saída do Brasil do Mapa da Fome, em 2015. A parcela da população abaixo da linha da pobreza caiu, entre 1988 e 2015, de 37% para 10%, conforme o estudo. Devido à crise econômica dos últimos anos, porém, os governos têm feito “mudanças radicais” que, segundo o levantamento, evidenciam uma “acelerada redução do papel do Estado” que “aponta para um novo ciclo de aumento de desigualdades”, segundo a organização. 

Garantia de Direitos 
A Emenda do Teto dos Gastos, que limita os gastos públicos por 20 anos, é considerada no documento como um “largo passo atrás na garantia de direitos”. De acordo com as constatações da Oxfam Brasil, há a necessidade de se revisar a reforma trabalhista aprovada recentemente pelo Congresso Nacional, “onde ela significou a perda de direitos”. Outros entraves ao fim das “desigualdades extremas” do Brasil, segundo a pesquisa, são a melhoria dos mecanismos de prestação de contas, mais transparência, combate à corrupção e uma “efetiva regulação da atividade de lobby”. 

De acordo com Katia, a meta do relatório não é defender que todas as pessoas tenham a mesma coisa e sim mostrar os extremos que não devem ser aceitos pela sociedade. No dia em que se completam dois anos da assinatura dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) pelos 193 Estados Membros da Organização das Nações Unidas (ONU), com metas para os países até 2030, a coordenadora do relatório acredita, corroborando o documento, que as desigualdades “não são inevitáveis”. 

“Elas são fruto de decisões políticas, de interesses, e nos níveis que nós temos hoje no Brasil, são eticamente inaceitáveis. Estamos construindo uma sociedade onde uma parte da população vale mais que outra. Não pode ser assim, somos todos parte da mesma sociedade. Essa distância entre nós está tão grande que a única forma de reduzir é atuando juntos, nos unindo”, finaliza.

Fonte: Agência Brasil 

Confira as ofertas da semana no Armazém Paraíba


Venha ao Paraíba para conferir de perto esta grande oferta.




Reforço da PM garante visita sem confusão no presídio do litoral

O objetivo era garantir a segurança no horário de visita deste domingo (24/09) 


Equipes de policiais militares da capital Teresina foram deslocadas ainda na noite de sábado (23) para Parnaíba, no litoral do Piauí, após o princípio de rebelião registrado na unidade prisional da cidade. O objetivo era garantir a segurança no horário de visita deste domingo (24/09).

Segundo o coronel Márcio Oliveira, comandante de policiamento do litoral meio norte, as equipes adentraram na Penitenciária Mista de Parnaíba logo nas primeiras horas da manhã deste domingo. "Tudo aconteceu como planejado, sem nenhuma movimentação por parte dos detentos e dos visitantes", informou.


(Crédito: Gleitowney Miranda / Blog do Pessoa)

No sábado (23), por conta do princípio de rebelião em três alas da unidade prisional, o diretor da penitenciária, Fernando Caldas, garantiu a visita íntima aos detentos neste domingo e a entrada de alimentação com os visitantes. De acordo com um agente penitenciário que não quis ter o nome revelado, há muitos policiais militares dentro do presídio. 

"Hoje tem quase um preso para cada PM, enquanto a sociedade fica desprotegida. O Governo está se curvando aos pedidos dos presos, com as sacolas de comidas, mas a greve continua. Os próprios militares estão organizando a entrada das comidas, só não sei até quando isso vai perdurar", afirmou. 

A Penitenciária Mista de Parnaíba possui atualmente cerca de 500 detentos, quando a capacidade da época da construção (década de 90) era para pouco mais de 150. 


(Crédito: Gleitowney Miranda / Blog do Pessoa)

Fonte: Portal MN/Por Kairo Amaral
 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta