22/11/2019

Mergulhadores de combate são enviados da Bahia para reforçar limpeza no Delta do Parnaíba

O objetivo é reforçar o processo de limpeza da área, que recolheu 400 quilos de óleo do santuário ecológico. O Delta do Parnaíba é único em mar aberto e o maior das Américas.

Mergulhadores de combate foram enviados para reforçar limpeza no Delta do Parnaíba — Foto: Divulgação/Marinha do Brasil

Mergulhadores de combate de uma tropa de elite da Marinha do Brasil foram enviados da Bahia para o Delta do Parnaíba, nesta quarta-feira (20). O objetivo do envio dos profissionais é reforçar o processo de limpeza da área. De 1 tonelada de óleo estimado no local, 400 quilos da substância foram retirados do santuário ecológico, que é único em mar aberto e o maior das Américas.

Segundo o capitão Dante Rodrigues, comandante da Capitania dos Portos do Piauí, os profissionais realizaram o mergulho em seis pontos focais do Delta e não detectaram a presença de óleo sedimentado, ou seja, na superfície do mar. O mesmo resultado foi observado pelos dois sobrevoos e monitoramento feito pelo navio patrulha da Marinha na região.

Delta do Parnaíba — Foto: Reprodução/TV Clube

No início da semana, um representante do Icmbio que participou do voo avaliou de forma preliminar e estimou a presença de aproximadamente 1 tonelada de material oleoso no Delta do Parnaíba. Desde o início do monitoramento em setembro, a Marinha retirou 7.411 quilos de óleo do litoral piauiense.

“Nós recebemos a bordo, da Capitania dos Portos do Piauí, militares de uma tropa de elite da Marinha, conhecido como mergulhadores de combate. Eles vieram diretamente de um navio patrulha, que se encontra hoje em Fortaleza, e na época estavam em Salvador. Eles vieram para fazer as ações pontuais de verificação da presença desse óleo, ou seja, uma análise mais precisa da extensão dos danos. Eles mergulharam em seis pontos focais na área da Delta e não foi observado a presença do óleo sedimentado, ou seja, no fundo ali daquela superfície. Então não existe óleo na superfície do mar no Litoral do Piauí”, destacou o capitão.

Manchas de óleo atingem praias do Delta do Parnaíba — Foto: Reprodução/TV Clube

O comandante da Marinha explicou que a limpeza na região segue uma logística diferente de uma praia, pois o acesso se dá por meio de igarapés e rios com o emprego de embarcações. Todo o material oleoso retirado do Delta do Parnaíba vem sendo armazenado no município de Parnaíba.

Praias liberadas

Praia de Atalaia no Piauí é liberada para banhistas — Foto: Arquivo Pessoal/Erick Machado

As Praias de Atalaia e Peito de Moça, em Luís Correia, e Pedra do Sal, em Parnaíba, foram liberadas para os banhistas nessa quarta (20) e quinta-feira (21) após a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Piauí (Semar) não registrar novas manchas de óleo. De acordo com o órgão, todas as praias do Litoral estão próprias para banho.

De acordo com a Semar, na segunda (18) e terça-feira (19) foram percorridos aproximadamente 130 km em alto mar em forma de zigue-zague, partindo do entreposto pesqueiro Anchieta Pescados e seguindo até a praia de Maramar. O objetivo era interceptar manchas de óleo na corrente marítima que pudessem ser depositadas nas praias entre Peito de Moça e o Delta do Parnaíba.

Navio da Marinha faz vistoria das manchas de óleo no Delta do Parnaíba — Foto: Divulgação/Marinha do Brasil

Já na quarta-feira (20), após percorrer 5,5 km, do espigão do porto de Luís Correia até a Praia Peito de Moça não foram visualizados manchas ou fragmentos de óleo na área citada. "Considerando a quantidade de resíduo coletado diminuiu até chegar a valor zero, e considerando os resultados observados no monitoramento, a Semar classificou as praias como próprias para banho", explicou Renato Nogueira, gerente de Fiscalização da Semar.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing