16/05/2018

Mulher sofreu brutal violência e foi atropelada antes de morrer, confirma IML

Foto: Carliene Carpaso/ Cidadeverde.com

O delegado Francisco Baretta, coordenador da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), informou na tarde desta terça-feira (15), que a mulher encontrada morta na avenida Maranhão com sinais de atropelamento e perfurações de arma branca era Areta Dantas Claro, de 32 anos. A vítima residia no bairro Bela Vista , zona Sul de Teresina, e era cabeleireira.


O IML - em avaliação preliminar - apontou que a vítima foi atropelada, estava com sinais de muita violência e sofreu vários golpes de arma branca (faca). Segundo a direção do IML em dez dias sairá o laudo oficial.

Bareta afirmou que a polícia ainda está investigando os últimos passos da mulher e que está trabalhando com crime de homicídio. Segundo o delegado, nenhum suspeito foi identificado até o momento. “Já identificamos os elementos essenciais, que são muito importantes para a investigação e agora estamos investigando como foram os últimos passos dela”, disse ao Cidadeverde.com.

O delegado disse também que enviou o caso para a delegada Luana Alves, coordenadora do Núcleo de Feminicídio da Polícia Civil do Piauí. “A polícia trabalha com suspeita de homicídio, mas todos os crimes violentos cometidos contra a mulher têm que ser enviados ao Núcleo de Feminicídio”, informou o coordenador.

Segundo uma tia da vítima, ela saiu de casa ontem à noite para fazer um lanche próximo a sua casa. "Ela saiu dizendo que ia fazer um lanche no Diuturno. Desse lanche ela não voltou mais", afirmou.

A família soube da morte quando o caso foi noticiado pela imprensa. "A gente viu na TV, mas não sabia que era ela. Depois foi que sentiram falta dela e foram procurar. Pelas tatuagens que ela tem foi que um irmão viu e achou que era ela", disse.

A tia de Areta acredita de crime passional. "Ela viveu com um cara de 3 a 4 meses e ele não aceitava a separação. Ela saiu da casa dele no final de fevereiro e não aceitava a separação", disse à TV Cidade Verde.

Aretha completou 31 anos no dia 5 de maio. Era cabeleireira, mas estava desempregada.

O corpo de Areta Claro foi encontrado hoje (15) por volta das 4h, na Avenida Maranhão, na faixa sentido Centro-Sul, chegando na Ponte Nova, no bairro Tabuleta (a cerca de 200m da ponte). As informações iniciais são de que ela teria sido arrastada por uns 10 metros até um campo de futebol.

A Perícia Criminal informou que a vítima foi morta com umas 20 perfurações, tinha marcas de frenagem no corpo e que parte do couro cabeludo foi arrancado por causa do atropelamento. O Instituto de Medicina Legal (IML) fez o recolhimento do corpo por volta das 7h30. 

Lyza Freitas
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google