04/04/2018

Sem canoas estudantes voltam a usar boias para ir à escola no PI

Embarcações foram retiradas e nível do rio aumentou novamente. A prefeitura disse que já foi solicitada uma parceria com o governo do estado para construção de uma passagem molhada.

Problema da travessia do Rio Longá se agrava com período chuvoso em Campo Maior

Com o período chuvoso, um problema bem conhecido por famílias da Zona Rural de Campo Maior, 84 km de Teresina, voltou a aparecer. As crianças que precisam ir à escola todos os dias, continuam correndo risco na travessia do Rio Longá através de boias improvisadas. Segundo moradores da região, o nível do rio aumentou muito e a canoa que fazia a travessia foi retirada.


Em nota a Prefeitura de Campo Maior informou que a Defesa Civil precisou deslocar o barco que seria usado para travessia para outros pontos de alagamento em situação mais crítica, mas afirmou que o transporte já está normalizado.

Em vídeo gravado por um morador, é possível ver o nivel do rio muito alto. O homem relata que o ônibus volta com as crianças às 6h30 por que não conseguiu atravessar de tão cheio que estava o rio e que o prefeito da cidade de Campo Maior havia prometido um barco para ajudar a transportar os alunos até as escolas.

A situação foi denunciada há anos por moradores e professores que pedem a construção de uma ponte. O assunto foi tema de reportagem do Fantástico que mostrou a travessia em cima de boias antes das 6h da manhã. Homens com água na altura do peito guiam crianças e jovens até chão firme.

Sem canoas estudantes voltam a usar boias para ir à escola no PI
Estudantes tem de enfrentar improviso para chegar a escola (Foto: Reprodução/TV Clube)

Falta de transporte afeta pelo menos 50 famílias
O G1 também abordou o problema no final do mês de fevereiro, quando um vídeo gravado pelo professor Jefferson David Evangelista de Abreu mostrava crianças usando boias para atravessar o rio Longá e ir até escola na cidade de Campo Maior, por falta de uma ponte sobre o rio.

Pelos menos 50 famílias vivem com a realidade diariamente. No período chuvoso o nível da água sobe e desce rapidamente e chega a aumentar de 3 a 4 m, além da correnteza. Enquanto a ponte não é construída, as crianças e adolescentes tiram as roupas molhadas e se trocam na mata antes de entrar no ônibus e ir à escola.

Na época da matéria, a prefeitura prometeu providenciar um barco que chegou a ser levado ao local. Mas a embarcação teve problemas para navegar por que as hélices tocavam no fundo do rio.

A prefeitura comunicou também que já foi solicitada uma parceria com o governo do Piauí para construção de uma passagem molhada e que colocou uma van a disposição dos alunos para fazer o transporte até a escola por outro acesso. Em nota a prefeitura disse ainda que o barco continuará no local para a travessia de alunos que estudam numa comunidade logo após o rio.

Fonte: G1/PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google