24/07/2017

Bando fazia pré-anúncio de fotos íntimas e pelo menos 30 mulheres foram vítimas


O vazamento de fotos íntimas de mulheres no município de Coivaras ( a 68 km de Teresina) tinha um componente ainda mais inescrupuloso. A quadrilha que divulgou imagens de vítimas nuas fazia um pré-anuncio de divulgação na rede social, o que aterrorizava ainda mais a cidade. O bando, segundo relatos ouvidos pelo Cidadeverde.com, revelava com antecipação quantas mulheres teriam fotos vazadas durante a semana.

Pelo menos 30 mulheres de Coivaras seriam vítimas da quadrilha. Apenas duas vítimas registraram boletim de ocorrência.

O delegado Daniel Pires Ferreira, da Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes de Alta Tecnologia (Dercat) esteve no município de Coivaras e ouviu as duas vítimas que registram o BO.

"Dois celulares foram apreendidos para serem periciados. O que constatamos preliminarmente é que não houve invasão de fotos privadas, mas que as vítimas disponibilizaram as imagens, agora o que vamos descobrir é quem são os responsáveis pelo vazamento das fotos", afirmou o delegado Daniel Pires. 

Ele disse ainda que é cedo para fazer qualquer definição sobre o caso. O delegado ressaltou também que circula informação de que há mais vítimas, porém somente duas pessoas registraram queixa na delegacia. Uma jovem de 18 anos e outra de 15 anos. 

Terror na cidade
O Cidadeverde.com ouviu moradores de Coivaras e todos são unanimes: o vazamento das fotos íntimas causou um verdadeiro pânico entre as mulheres.

O pai de uma das vítimas contou ao Cidadeverde.com que os criminosos aterrorizavam anunciando previamente a divulgação.

"Eles espalhavam na rede social avisando: 'amanhã tem mais duas, depois mais três. Mais de 30 mulheres entre elas casadas, professoras, menores de idade, todas foram vítimas. Isso causou um verdadeiro temor na cidade", contou o pai de uma das vítimas que registrou BO na delegacia. 

Segundo o pai da jovem, o caso revoltou a cidade e as vítimas estão desconfiando que envolve vingança.

"Desde a divulgação dos vídeos que minha filha não sai de casa, mudou nossa rotina. É um verdadeiro absurdo o que as famílias que Coivaras estão passando".

Denuncie
Teresina conta com uma delegacia especializada para receber queixas de crimes virtuais. Ela funciona no 6º DP, no bairro Piçarra, zona Su da capital.

Além da delegacia, a vítima pode usar o aplicativo Salve Maria, que é disponível gratuitamente para download na loja virtual.

A Polícia Civil do Piauí também desenvolveu o aplicativo "Vazow" que auxilia vítimas de vingança pornô. 

A Lei 12.737/2012 sobre crimes na internet entrou em vigor em 2013. Apelidada de "Lei Carolina Dieckmann", ela altera o Código Penal para tipificar como infrações uma série de condutas no ambiente digital, principalmente em relação à invasão de computadores, além de estabelecer punições específicas, algo inédito até então.

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta