07/10/2022

Macaco que 'amolava faca' e 'lavava roupa' é solto na natureza após três meses de reabilitação no Piauí

Após três meses de reabilitação, Chico foi solto em uma região de mata na zona rural de Aroazes, no Norte do Piauí, junto com outros nove macacos com os quais viveu os últimos meses, sua nova família.

Macaco que 'amolava faca' e 'lavava roupa' é solto na natureza após três meses de reabilitação no Piauí — Foto: Secretaria de Meio Ambiente de Aroazes - PI

O macaco Chico, que ficou famoso "amolando uma faca" e "batendo roupas" voltou para a natureza nessa quinta-feira (6) após três meses de reabilitação. Junto com o grupo de nove outros macacos, com os quais viveu os últimos meses, Chico foi solto em uma região de mata na zona rural de Aroazes, no Norte do Piauí.

Os biólogos e veterinários, que acompanharam a soltura, espalharam cachos de banana pela mata próxima para atrair os macacos para sair da gaiola, a última em que entraram.

O local é uma área de soltura registrada pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Ibama), abrangendo a zona rural das cidades de Aroazes, Pimenteiras, São Miguel do Tapuio e Santa Cruz do Piauí.

Macaco que 'amolava faca' e 'lavava roupa' é solto na natureza após três meses de reabilitação no Piauí — Foto: Secretaria de Meio Ambiente de Aroazes - PI

Além de Chico e sua família de nove companheiros, foram soltos 22 jabutis e 13 jiboias, animais que foram vítimas de criação ilegal, mas foram resgatados ou entregues de forma voluntária.

Todos passaram por exames, que atestaram que estão saudáveis, e receberam microchips de identificação.

A Secretaria de Meio Ambiente de Aroazes também acompanhou a soltura, e estuda formas de ampliar as áreas de soltura no território do município.

Manter animais silvestres em cativeiro é crime. Denuncie!

Telefone para denúncias Ibama Nacional: 0800 061 8080
Polícia Militar Ambiental em Teresina: (86) 3223-7221

Macaco esperto

Macaco que 'amola faca' e 'lava roupa' é levado para centro de tratamento para retornar à natureza — Foto: Andrê Nascimento/ g1 Piauí

Quando a gaiola se abriu, Chico foi um dos primeiros a correr para a mata. Segundo Fabiano Pessoa, veterinário do Centros de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) do Ibama-PI, o macaco famoso ganhou a liberdade tranquilo e bem ativo.

"O Chico é muito esperto e inteligente, demonstrou-se hábil e com características de disputa pela liderança no grupo, fato positivo pensando no aspecto da soltura", disse o veterinário Fabiano Pessoa.

Macaco que 'amolava faca' e 'lavava roupa' é solto na natureza após três meses de reabilitação no Piauí — Foto: Secretaria de Meio Ambiente de Aroazes - PI

A equipe de técnicos do Ibama, Semar e do Bioparque Zoobotânico ficarão os próximos dias na região, para observar a readaptação dos novos habitantes da mata. Entre eles, a bióloga Vanessa Gomes, do Bioparque Zoobotânico, que acompanhou toda a reabilitação do Chico.

Macaco que 'amolava faca' e 'lavava roupa' é solto na natureza após três meses de reabilitação no Piauí — Foto: Secretaria de Meio Ambiente de Aroazes - PI

"Chico nos mostrou um retorno positivo da reabilitação, foi um dos primeiros a sair, acompanhou bem e pegou logo as bananas que deixamos espalhadas nas árvores do local. Foi lindo demais", relatou.

Macaco que 'amolava faca' e 'lavava roupa' é solto na natureza após três meses de reabilitação no Piauí — Foto: Secretaria de Meio Ambiente de Aroazes - PI

Para Vanessa, o momento da soltura representa o final de um longo trabalho, e uma feliz despedida.

"Cada um deles tem sua história. Eu saio chorando, sempre! Traz uma sensação de dever cumprido. E com certeza bate a saudade", disse.

Macaco que 'amolava faca' e 'lavava roupa' é solto na natureza após três meses de reabilitação no Piauí — Foto: Secretaria de Meio Ambiente de Aroazes - PI

101 dias de reabilitação

Durante os últimos três meses, Chico e os companheiros foram preparados para o retorno à natureza. Segundo a bióloga Vanessa, ele foi introduzido aos poucos no grupo, sob supervisão diária, até ser aceito pelos outros macacos.

Chico logo começou a disputar a liderança do bando, parte natural do processo de adaptação ao grupo.

Chico fez várias tentativas para se tornar o líder , mas não conseguiu. Ele também foi estimulado a recuperar seus instintos de caça.


"Esta fase de formação do grupo é de suma importância, por serem animais que mantêm relações de sociedade bem definidas com liderança e dominância entre machos e fêmeas, orientações de proteção do grupo, fuga de predadores em vida livre", disse a bióloga.

Em outra fase da reabilitação, os biólogos e veterinários passaram a evitar ter contato com o grupo, para que ele perdesse o costume de se aproximar dos seres humanos. A medida é uma forma de evitar que ele seja capturado novamente.

Reveja o vídeo:


Quando foi capturado, em junho, na cidade de Corrente, Chico se aproximou rapidamente os analistas ambientais do Instituto Chico Mendes (ICMBio), característica de animais que foram domesticados.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing