19/05/2020

Abandonada por décadas, ponte metálica sobre o rio Portinho poderá ser recuperada


A ponte metálica sobre o Rio Portinho, que faz a divisa dos municípios de Parnaíba e Luiz Correia (antiga Amarração), no litoral piauiense, o mato e a ferrugem está tomando conta. A empresa que administrava a antiga ferrovia abandonou todo o patrimônio que hoje, parte dela não serve mais para nada.

Com a perspectiva de voltar a ter trem fazendo o percurso entre Parnaíba e Luiz Correia a ponte deverá ser recuperada e poderá servir para uma nova via a ser reconstruída uma vez que os trilhos já foram retirados. O trem turístico que irá fazer este percurso vai gerar emprego e renda aos que ali trabalharem sem contar que será mais uma opção de transporte, melhorando a mobilidade tão reclamada pelos turistas.

A ponte ainda poderia ter duas finalidades uma para o trem e outra para uma segunda rodovia entre Parnaíba e Luiz Correia melhorando o tráfego entre estas duas cidades. Um exemplo que podemos citar onde a ponte metálica serve para veículos e trem é a de Teresina que faz as duas funções.

Foi uma excelente ideia do Dr. Valdeci Cavalcante, presidente da Fecomércio, que pretende recuperar a ferrovia pelo menos no trecho entre Parnaíba e Luiz Correia e colocar um trem confortável com bar e restaurante, ar condicionado, música ao vivo, dentre outras mordomias, para dar mais esta opção ao turista.

A ponte metálica do Rio Portinho foi inaugurada em 1922, com a linha entre Luiz Correia e Cocal e representa os anos áureos do transporte ferroviário no estado do Piauí. Ela integrou a Estrada de Ferro Central do Piauí (EFCP) construída nas primeiras décadas do século XX para servir de ponto de embarque no trecho Parnaíba-Luiz Correia e pretendia servir para escoamento de mercadorias da futura instalação do Porto de Luiz Correia até hoje não concluído. Dezenas de trabalhadores da EFCP abriram caminho para o mar e auxiliaram na construção da ponte sobre o Rio Portinho, que ligava as duas cidades. Em 1974, o trecho foi desativado, permanecendo ativa por mais alguns anos apenas a linha Parnaíba-Teresina. Atualmente, a três estações deste percurso é parte de um espólio abandonado e encontra-se em péssimo estado de conservação.

A ponte também deveria ser tombada pelo IPHAN
A ponte metálica que liga a capital Teresina no estado do Piauí a cidade de Timon no estado do Maranhão, denominada de ponte João Luiz Ferreira, construída em 1939, ou seja, 17 anos depois da ponte do Rio Portinho, foi declarada Patrimônio cultural brasileiro pelo Conselho Consultivo do IPHAN em 11 setembro de 2008. Daí perguntarmos aos administradores do IPHAN. Porque não tombar a ponte do Rio Portinho? O Piauí foi o primeiro estado brasileiro a receber uma ação integrada de tombamento de seu patrimônio, e aprovou a proteção de bens materiais que se tornaram patrimônio cultural brasileiro.


Redação: Jornal da Parnaíba | Fotos e vídeo: PHB Drones

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing