03/07/2018

Suspeito nega agressões contra cantora; delegada diz que vídeo comprova violência

O G1 tentou mas ainda não conseguiu contato com a vítima. O suspeito disse que não vai se pronunciar sobre o assunto.

Vídeo que mostra momento de agressão circulou nas redes sociais. (Foto: Reprodução)

O homem identificado pela polícia como Marcelo Oliveira, suspeito de agredir a cantora piauiense Gleycielle Mendes de Sousa, conhecida como Vakeira Funk, negou as acusações ao prestar depoimento para a polícia. A delegada titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher do Centro de Teresina, Vilma Alves, afirmou ao G1, nesta terça-feira (3), que um vídeo compartilhado nas redes sociais comprova as agressões.


O vídeo, segundo a polícia, foi gravado por uma câmera do circuito interno de segurança do local onde a vítima e o suspeito, que seria marido de Gleycielle, trabalhavam. A reprodução das imagens não foi autorizada. O registro é utilizado pela polícia como prova da violência sofrida pela cantora.

“O agressor nega porque eles sempre negam, mas as imagens falam mais do que mil palavras. As provas que temos são contundentes”, afirmou a delegada Vilma Alves.

Delegada Vilma Alves, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Foto: Catarina Costa/G1)

Além do vídeo, a delegada informou que o exame de corpo de delito também comprovou a lesão corporal. Depoimentos de testemunhas são usados como provas pela delegacia da mulher dentro do inquérito.

Agressor tentava isolar vítima
Segundo a delegada, a investigação aponta que o marido tentava isolar a cantora do contato com outras pessoas.

“Ele impedia que ela se relacionasse com os colegas de banda, queria que ela trabalhasse com eles sem que conversasse ou olhasse. Ela também era proibida de ir visitar a mãe. Ele queria que ela vivesse apenas no mundo dele”, relatou Vilma Alves.

Enquanto o inquérito não é finalizado, o homem está impedido de se aproximar da cantora, devido à medida protetiva solicitada pela delegada Vilma Alves. “Ainda tenho que ouvir mais testemunhas, mas ela foi acolhida e está bem, livre das agressões”, disse a titular da delegacia da mulher.

O G1 tentou mas ainda não conseguiu contato com a vítima. O suspeito disse que não vai se pronunciar sobre o assunto.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google