15/01/2018

Familiares de baleados em pré-carnaval de Teresina dizem que tiros foram 'sem motivo'

A irmã de uma das três vítimas de disparos feitos na festa da "Banda Bandida" disse que o rapaz está bem, mas não se sabe o que motivou o crime.

Tiros foram disparados em meio à multidão que lotou a rua 24 de Janeiro durante prévia carnavalesca. 
(Foto: Bom Dia Piauí)

Familiares de Jardel Oliveira, Ramile Rodrigues e Paulo Roberto Rodrigues, três baleados no último sábado (13) em uma prévia carnavalesca no Centro de Teresina, informaram nesta segunda-feira (15) ao G1 que os tiros contra as vítimas foram “sem motivo”. Dois deles já receberam alta e outro está internado no Hospital de Urgência de Teresina.

Segundo a tia de Jardel de Oliveira, Deusa Oliveira, o rapaz foi baleado na coxa, a bala atingiu o celular e atravessou a perna. "Ele terminou o ensino médio esse ano, não tem problema com ninguém. Ele só me disse que estava na banda com os amigos quando percebeu uma confusão e depois levou o tiro", declarou a tia.

Tia disse que o sobrinho não sabe o motivo dos tiros (Foto: Reprodução/Tv Clube)

O rapaz recebeu atendimento médico e realizou exame de corpo de delito no IML nesta segunda.

A irmã de Paulo Roberto e prima de Ramile, Andrea Kelly Rodrigues, também informou ao G1 que o irmão está bem e que não se sabe o que motivou o crime. Contudo, o relato dos que estavam no local é que o suspeito dos tiros, desde o início, estava “encarando” seu irmão.

“Ele falou pra esposa dele que eles estavam ‘maldando’ ele, porque eles estavam só olhando e ele até perguntou se ela conhecia eles, mas ela disse que não. De repente eles viram só o clarão das balas”, declarou.

Paulo Roberto continua internado (Foto: Reprodução/Facebook)

Ramile foi baleado na perna e na mão, mas foi atendido em um hospital particular. Ele é primo de Paulo Roberto e já recebeu alta. Segundo Andrea, o irmão foi atingido no abdômen e no tórax e passou por cirurgia mas já está bem, consciente e conversando com a família.

Autoria
O responsável pelos cinco tiros na noite de sábado (13) no Centro de Teresina durante uma festa de um tradicional bloco de pré-carnaval seria um cabo do Exército Brasileiro. De acordo com o coordenador geral de operações da Polícia Militar do Piauí (PM-PI), Coronel Alberto Menezes, a polícia está tentando localizar o homem.

Segundo o coronel o homem seria cabo do 2° Batalhão de Engenharia e Construção (BEC). Ele explicou que após as 23h o homem armado chegou ao evento e acessou o espaço fechado.

Tiros acontecem em festa de pré-carnaval tradicional no centro de Teresina (Foto: Maria Romero / G1 PI)

“Chegou um cabo do Exército, acompanhado de amigos e um deles foi identificado. O cabo mostrou identidade funcional e disse que tinha direito de entrar armado e a segurança deixou, mesmo sem identificar o porte”, relatou o coordenador acrescentando que há dois tipos de porte, comum e funcional. Apenas o porte funcional permite a acesso a espaços, desde que identificado.

O 2° BEC informou que ainda está em busca de confirmar as informações a respeito do assunto e que pretende se manifestar posteriormente.

Segurança
O coordenador da festa, Último Coelho, informou que na festa havia 36 seguranças e oito policiais militares. Ele destacou que, a partir de agora, a segurança será reforçada.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google