10/01/2023

Menina que caiu de brinquedo de parque de diversões e mãe passam por exames de corpo de delito, no Piauí

A menina de 11 anos passa bem, mas vai ainda passar por exames neurológicos e por acompanhamento psicológico. A mãe dela sofreu ferimentos no braço.

Menina de 11 anos cai de brinquedo de parque de diversões em Regeneração, no Piauí

A menina de 11 anos que caiu de um brinquedo em um parque de diversões itinerante em Regeneração, no último sábado (7) e a mãe dela passaram por exames de corpo de delito. O caso foi denunciado à Polícia Civil de Água Branca. A menina, que mora em Teresina, passa bem.

Em entrevista ao g1, o pai da menina, Edvan Lima, comentou que, além da criança, a mãe também sofreu ferimentos nos braços causados pela pressão com a barra de proteção do brinquedo.

"Segundo pessoas que viram a cena, o brinquedo estava mais acelerado do que o normal na hora do acidente. Tenho o laudo do hospital, a mãe dela está com machucados nos braços de tanto fazer força para se segurar", disse Edson Lima.

A menina caiu de um brinquedo em um parque de diversões itinerante na noite de domingo (8), em Regeneração, no Sul do Piauí. Segundo a Prefeitura da cidade, o brinquedo onde aconteceu o acidente foi interditado. O g1 não conseguiu entrar em contato com o parque de diversões.

A menina foi levada a um hospital em Regeneração e, no domingo (8), levada para Teresina, para passar por novos exames. Segundo Edson, a filha está bem e em casa, mas vai ainda passar por exames neurológicos e por acompanhamento psicológico.

Segundo Edson, logo depois da queda, a menina foi socorrida às pressas por funcionários do parque de diversões, que a colocaram em um carro de passeio e levaram ao hospital, enquanto a mãe assistia do alto, ainda presa ao brinquedo. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, mas ao chegar ao local, a menina já havia sido retirada.

"O atendimento do parque foi totalmente irresponsável. Se havia alguém especializado lá não, mas não foi feito como deveria. Deveriam ter estabilizado ela no local, preservando a coluna cervical. Uma queda com aquela violência poderia ter causado uma lesão, poderia até ser fatal", disse o pai da menina.

Para Edson, o fato de que a mãe e a menina ficaram feridas mostra que o sistema de segurança do brinquedo, que é uma barra de ferro que segura as pessoas na altura do peito, é inadequada.

"Eu tenho experiência com esportes de aventura, com rapel, e penso que bastava que o brinquedo tivesse uma cinta que amarrasse as pessoas à barra, ou ao acento. Não é cabível que uma máquina dessa permita que alguém seja projetado em pleno funcionamento. Esse brinquedo tem que ser banido, ou que seja mudado o projeto", disse.

O brinquedo, chamado "Surf" ou "Hawaii", carrega pelo menos 12 pessoas sentadas e presas por uma barra de metal, que giram a uma altura de pouco mais de dois metros. Brinquedos do mesmo modelo causaram diversos outros acidentes com feridos, e até a mortes em Itu, em outubro de 2021, e no Pará, em junho de 2022.

Fonte: Portal G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing