16/11/2022

Manchas de óleo voltam a aparecer na Praia de Atalaia, Litoral do Piauí, durante o feriado

Segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o mar está trazendo alguns desses vestígios diariamente duas vezes durante as marés altas.

Oléo na Praia de Atalaia, em Luís Correia (PI) — Foto: Fileto José Barroso

Manchas de óleo voltaram a aparecer na Praia de Atalaia, em Luís Correia, Litoral do Piauí, durante o feriado de Proclamação da República, nesta terça-feira (15). Vídeos mostram fragmentos de óleo na areia. Na imagem é possível ver a pessoa pegando no óleo e manchando a mão.

Segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o mar está trazendo alguns desses vestígios diariamente duas vezes durante as marés altas.

"Toda vez que a moradores identificam as manchas de óleo, a prefeitura faz a remoção", informou o ICMBio.

Desde o dia 17 de outubro, as praias estão sendo monitoradas pelo ICMBio, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Capitania dos Portos, Secretaria de Meio Ambiente do Piauí (Semar) e prefeituras locais.

Todos os fragmentos de óleo encontrados nas praias piauienses estão sendo depositados no Ibama. Amostras foram encaminhadas para análise na Universidade Federal da Bahia.

A nota técnica divulgada em setembro pelo Comando do 3º Distrito Naval da Marinha do Brasil, sediado no Rio Grande do Norte, em conjunto com outros órgãos, a maior parte dos resíduos de óleo achados em praias do Nordeste desde o final de agosto de 2022 é de um "novo incidente" e não têm relação com as manchas que sujaram a costa da região em 2019.

Orientações da Semar

Banhistas encontram manchas de óleo em praia do litoral do Piauí — Foto: Geórgia Aragão/ Arquivo Pessoal

Não entre em contato com o óleo. Se houver contato, retire a substância com delicadeza, utilizando óleo de coco ou de cozinha. Em seguida, lave com água e sabão. Em caso de reação alérgica ao toque, ou ingestão do óleo, procurar uma Unidade Básica de Saúde.

Acione os órgãos ambientais pelos telefones abaixo:

Semar: (86) 9.9464-1242
Ibama: (86) 9.9456-8343
ICMBio: (61) 9.9158-9384

Ao encontrar animais feridos ou em contato com o óleo, a instrução é ligar para ICMBio pelo telefone (61) 9 9158-9384. Além disso, importante ressaltar que o animal não deve ser lavado, nem devolvido ao mar antes da avaliação de um veterinário ou biólogo.

Em caso de tartarugas encalhadas entrar em contato com o @institutotartarugasdodelta através do número (86)9.9968-0197.

Novo incidente, diz Marinha

Segundo uma nota técnica divulgada em setembro pelo Comando do 3º Distrito Naval da Marinha do Brasil, sediado no Rio Grande do Norte, em conjunto com outros órgãos, a maior parte dos resíduos de óleo achados em praias do Nordeste desde o final de agosto de 2022 é de um "novo incidente" e não têm relação com as manchas que sujaram a costa da região em 2019.

Ainda de acordo com o comunicado, a suspeita levantada pelos investigadores é de que o material tenha sido lançado no mar após lavagens de tanques de um navio petroleiro. As análises clínicas apontaram que os resíduos são de petróleo produzido no Golfo do México.

Em 2019, três toneladas de óleo foram retiradas das praias do Piauí. As praias das quatro cidades do litoral piauiense foram atingidas. A praia de Pedra do Sal, em Parnaíba, foi o local onde houve uma quantidade expressiva de mancha de óleo, de onde foram retiradas quase duas toneladas. Na época, algumas praias chegaram a ser interditadas, consideradas impróprias para banho.

'Bolotas' de óleo nas praias do Nordeste

Manchas de óleo voltam a aparecer na Praia do Futuro em Fortaleza. — Foto: Labomar/UFC/Reprodução

As manchas de óleo, que poluíram as praias do Nordeste do Brasil em 2021, surgiram ainda em agosto, no litoral do Pernambuco, da Bahia e da Paraíba.

Em setembro, o óleo foi registrado em praias de Alagoas, no litoral do Rio Grande do Norte e do Ceará. Desde então, no Pernambuco mais de 8 toneladas de óleo foram recolhidos das praias. Os resíduos foram localizados em 12 municípios do litoral pernambucano.

Baldes usados para recolher óleo de praias de Tamandaré, no Litoral Sul de Pernambuco — Foto: Reprodução/WhatsApp

Segundo a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, origem dos novos fragmentos ainda é investigada.

Em todos os casos notificados, segundo a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) do Pernambuco, os fragmentos foram localizados na areia, como "bolotas", semelhantes ao que foi encontrado no Piauí.

Fonte: Portal G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing