20/09/2022

Umidade relativa do ar no Piauí só deve melhorar no final de outubro, diz meteorologista

Foto: Arquivo/Cidadeverde

A umidade relativa do ar no Piauí só deve melhorar no final do mês de outubro, afirmou a meteorologista Sônia Feitosa da secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) nesta segunda-feira (19).

O Piauí vem registrando constantes alertas relacionados a baixa umidade do ar, que em muitos municípios têm ficado entre 30% e 20%, mas segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o ideal é entre 40% a 70%.

Atualmente o Piauí está com alerta amarelo de baixa umidade relativa do ar em quase todo o estado, afetando 203 municípios, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), desta segunda-feira.

"O Piauí tem registrado baixa umidade do ar e altas temperaturas, mas vale ressaltar que no fim de outubro começam as chuvas e quando começar as chuvas, a condição de baixa umidade deve melhorar. Estamos vendo alguns episódios de chuva, por conta da circulação de vento, que conjugado com o calor está provocando essas chuvas, mas quando está nublado ocorrem essas chuvas e a umidade aumenta, mas logo depois a umidade volta a cair", afirmou.

A meteorologista afirmou que a região Sudeste é a que deve registrar a menor umidade nesta segunda-feira, com risco de incêndios florestais.

"Hoje a região mais crítica está no Semiárido, no Sudeste piauiense, onde a umidade do ar vai estar abaixo dos 20%, entre 12 a 20%. Com risco de incêndios florestais, mesmo em uma vegetação verdinha corre risco de incêndios, desde é claro, que seja provocado. No resto do Piauí, o Norte, Centro Norte e parte do Sudoeste a umidade vai estar baixa também, em torno de 20%, mas esse risco de incêndio é menor", destacou.

Com a baixa umidade, a recomendação é para que se beba bastante líquido, evite desgaste físico nas horas mais secas e evite exposição ao sol nas horas mais quentes do dia.

Foto: Inmet

Consumo de energia nesse período

Com a chegada do B-R-O-BRÓ, a Equatorial do Piauí alertou sobre o aumento no consumo de energia nesse período, quando são registradas altas temperaturas no estado.

Pequenas atitudes podem fazer uma grande diferença na conta de energia, entre elas:

A hidratação é fundamental em tempos de B-R-O BRÓ. Logo, o abre e fecha das geladeiras aumenta. Uma medida interessante é deixar um litro com água e gelo fora da geladeira. Além de ser uma alternativa para um dos maiores vilões da economia, a medida ajuda a conservar a borracha de vedação da sua geladeira;
Quando for em busca de algum alimento na geladeira ou freezer, já tenha em mente o que deseja. Dessa forma, evita-se o gasto de energia pela porta do equipamento aberta por um longo tempo;
Ao adquirir novos aparelhos eletrodomésticos, observar se possuem o selo Procel A de eficiência energética;
Para o ar condicionado, a temperatura ideal é de 23 graus, pois o compressor consome menos energia e o conforto ainda é mantido;
Uma boa prática a ser incorporada no cotidiano é fazer o uso intercalado do ar condicionado com o ventilador em dias menos quentes, pois ventiladores consomem bem menos energia;
Em ambientes naturalmente iluminados, evite acender luzes e dê preferência por lugares com janelas amplas e paredes claras.

Bárbara Rodrigues e Débora Radhassi
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Translate

Anuncio google

Racing