06/05/2022

ICMBio sugere que municípios custeiem coletor para captura de peixes-leão no Piauí; prefeituras analisam

Até o momento, sete peixes-leão foram encontrados no litoral piauiense. Reuniões serão realizadas com as comunidades litorâneas para tirar dúvidas sobre este animal.



Técnicos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) sugeriram que as prefeituras dos locais onde há o registro de aparecimento de peixes-leão custeiem um modelo coletor para que pescadores capturem esses animais.

Até o momento, sete peixes-leão foram encontrados no litoral piauiense. A orientação é que em casos de captura dos animais, pescadores e mergulhadores devem entrar em contato com autoridades e não devolvê-los ao mar.

O coletor é feito artesanalmente e custa, em média, R$ 70. Segundo o secretário de Meio Ambiente do município de Cajueiro da Praia, Daniel Soares Barbosa, nenhuma parceria está fora de cogitação por parte do poder público, contudo, é preciso analisar os passos que serão dados para enfrentar este problema.

“A gente está tentando, primeiro, entender quais são as necessidades do momento, do que está ocasionando, para o município estar junto aos pescadores dando um apoio para que a gente combata o crescimento do peixe-leão no nosso litoral”, explicou o gestor.

ICMBio e UFDPAR disponibilizam canais para comunicar presença do peixe-leão no Piauí — Foto: Divulgação

Novas aparições na divisa do PI com o CE

Na terça-feira (3), moradores do povoado Leitão, no município de Barroquinha (CE) encontraram quatro peixes-leão no Rio Timonha. Esse local onde os animais foram achados fica a 50km da divisa do Ceará com o Piauí e é conhecida por ser um estuário, onde é comum também o aparecimento de peixes-boi.

Pescadores encontram peixe-leão — Foto: Reprodução /TV Clube

Para Pedro Carneiro, biólogo da Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar), a presença de peixes-leão nesta região é preocupante. Trata-se de um alerta de que esses animais podem vir a aparecer no Delta do Parnaíba.

“É uma espécie típica marinha. Só que ele pode, e não é só no Brasil que isso acontece, ser encontrado dentro de ambiente de estuário, que é aquela parte do rio onde ocorre a mistura de água doce com a água salgada. É um relato preocupante porque é um ambiente novo, é um ambiente onde ainda não havíamos encontrado o peixe-leão. Nos ambientes de mangue, de estuário aqui no Delta a gente tem que ficar de olho, porque é um peixe que pode aparecer nessas regiões, ainda não foi visto mas, em breve, pode ser que ele apareça”, alertou o pesquisador.

Reuniões

Na próxima semana, estão marcadas reuniões com moradores de comunidades em Parnaíba e Ilha Grande do Piauí. Nesta sexta (6)-feira, uma reunião será realizada em Luís Correia.

“Luís Correia é a cidade com maior extensão de praias e a gente está com esse cuidado de levar informação. Já teve relatos da presença do peixe e a gente vai estar trazendo um pesquisador e um biólogo para dar informação à comunidade e combater as fake news, deixar as pessoas tranquilas, que não teve ainda contato do peixe com pescadores e banhistas, para não venha afetar o turismo”, explicou Nick Sousa, do Departamento de Meio Ambiente de Luís Correia.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Translate

Anuncio google

Racing