29/05/2021

PM inativo do RJ é preso em Luís Correia acusado de sequestro e estupro


O militar reformado da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Paulo Gustavo, de 55 anos, foi preso pela Força Tática no bairro Coqueiro da Praia no início da madrugada deste sábado (29/05), sob acusação de estupro e cárcere privado. As informações são do Portal do Catita.

Uma jovem de 24 anos de motocicleta foi abordada por volta das 21h de sexta-feira (28/05). Ela tinha saído de casa para pegar sua mãe na igreja, e durante o trajeto, foi abordada por um homem armado conduzindo o Fiat Uno vermelho.

O suspeito teria apontado o revólver para garota alegando que um traficante estava à procura dela, pois teria comprado uma porção de cocaína e não ter pago pela droga. A vítima, assustada comentou que era evangélica e quase não saia de casa e que o homem estava enganado.

Mesmo assim, ele ordenou que ela entrasse no carro apontando-lhe o revólver, dizendo que a levaria até o traficante, caso não fosse ela, a mandava embora. A vítima estacionou a motocicleta e entrou no carro amedrontada, que partiu em direção a Luís Correia.

O suspeito parou o carro em local determinado e mandou a vítima descer e deitar no chão, dizendo que iria matá-la. Falando ao mesmo tempo no telefone com um suposto traficante. Depois disse que a liberaria, mas que ela fizesse relação sexual com ele, o que não ocorreu.

Na sequência, entrou no carro e levou a vítima novamente, ordenando que ela deitasse no banco do carro e cobriu o corpo dela.

O carro em questão passou pela Rua da Lama com a Independência, bairro Beira-Mar em Luís Correia. Neste momento, havia uma patrulha da Ciptur realizando abordagem nas imediações. Os policiais suspeitaram e fizeram o acompanhamento tático, finalizando na rotatória do Coqueiro da Praia, em frente ao posto de gasolina.

O homem abandonou o carro e fugiu pelo mato com o revólver. A vítima contou o caso à polícia. Foi solicitado reforço do 2º BPM em Parnaíba. A patrulha coordenada pelo sargento Alexandre localizou o suspeito a 600 metros distante do posto.

Recebeu a ordem de prisão e foi questionado onde teria deixado o revólver. O acusado levou os militares até o matagal por trás do posto de gasolina. A arma foi apreendida e o caso enviado à central de flagrantes.

No cartório daquela distrital, o delegado Maikon Kaestner autuou o conduzido por estupro e cárcere privado com fins libidinosos. O acusado alegou ser usuário de cocaína e doente.

Via 180Graus

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Translate

Anuncio google

Racing