26/03/2021

Polícia encontra corpo de Renata Pereira e ex vereador é preso suspeito de feminicídio

Foto: arquivo pessoal/familiaRenata

O corpo da trabalhadora rural Renata Pereira Costa, que estava desaparecida desde o dia 28 de dezembro de 2020, foi encontrado. O ex-marido de Renata, Francisco das Chagas Ferreira, foi preso como principal suspeito do crime de Feminicídio. A prisão ocorreu na quarta-feira (24) na zona rural de Nazaré do Piauí, onde vítima e suspeito residiam.

A vítima desapareceu após sair da cidade de Nazaré do Piauí para fazer compras em Floriano. O delegado regional de Floriano, Bruno Ursulino, informou que o corpo foi localizado entre as cidades de Floriano e Itaueira. O corpo estava exposto em uma área de matagal de difícil acesso, em estado avançado de decomposição. O suspeito, que é ex-vereador, está preso na penitência Vereda Grande.

“A prisão aconteceu em uma das residências dele na zona rural de Nazaré do Piauí. Nós já pegamos o depoimento dele em três oportunidades. Depois da prisão, ele ficou em silêncio o tempo todo”, disse o delegado.

O delegado explica que o corpo foi localizado no dia 24 de janeiro de 2021, mas o resultado dos exames confirmando a identidade da vítima só ficaram prontos na última sexta-feira (19).

De acordo com os laudos, a vítima foi morta com uma forte pancada na cabeça com instrumento contundente, provocando traumatismo cranioencefálico.

Além do suspeito, outras testemunhas foram ouvidas. Os relatos dessas testemunhas apontam que o suspeito esteve presente com a vítima no dia do desaparecimento. Em seu depoimento, antes de ser preso, o suspeito negou. Algumas testemunhas também relataram histórico de agressão sofrido pela vítima, mas não há registro de ocorrência.

Em fevereiro, familiares, amigos e a Frente Popular de Mulheres contra o Feminicídio realizaram uma manifestação. Desde o dia do desaparecimento, iniciou-se a campanha “Procura-se Renata”. Renata deixa dois filhos.


A irmã de Renata, Andreia Pereira, diz que a família espera por Justiça. “Nós tivemos uma resposta. Uma resposta que temíamos muito ouvir das autoridades, mas, infelizmente, a Renata já não está entre nós. Foi assassinada de uma forma cruel, inocente, sem culpa de nada. Morreu por um covarde, que mandou matar ela”.

“Por oito anos, ela conviveu com uma pessoa, ajudou essa pessoa, cuidou das coisas dessa pessoa, e ele simplesmente mandou matar ela por ciúmes, por possessão. Agora, a família está sofrendo. Os filhos estão sofrendo. O que nós mais esperamos é que a Justiça venha a realmente ser feita. Que ele realmente pague pelo que fez. Se tiver outra pessoa, que essa pessoa também pague por estar envolvida. A família está em luto”.

O espaço está aberto para a defesa do suspeito.

Foto: arquivo pessoal/familiaRenata

A Frente Popular de Mulheres Contra o Feminicídio pede que as pessoas não divulguem as fotos que supostamente seriam dos restos mortais da Renata. “Vilipendiar cadáver é crime, com pena de detenção e multa. Não contribua com esse crime, não mate a Renata novamente. A sua memória é o que nos fortalece a continuar lutando contra o Feminicídio e o machismo estrutural que nos mata e quer matar de novo. Renata estará sempre presente”.

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Translate

Anuncio google

Racing