21/01/2021

Prefeitura de Parnaíba cobra prestação de serviço de qualidade da Agespisa

Lisandro Ayres Furtado (Presidente da ASERPA)

A Prefeitura de Parnaíba vem ao longo dos anos cobrando da Águas e Esgotos do Piauí S.A. (Agespisa) esclarecimentos acerca dos constantes desabastecimentos de água e os péssimos serviços prestados ao Munícipio.

O Prefeito de Parnaíba Francisco de Assis de Moraes Sousa, Mão Santa, e a Secretária de Infraestrutura, Maria das Graças Nunes estão cientes da problemática e buscam uma solução satisfatória e que atenda à população de Parnaíba.

Por meio da Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos, ASERPA, a Prefeitura estabeleceu um diálogo, sem sucesso, com os representantes legais da empresa. Sem solução em curto prazo, o Munícipio recorreu ao Ministério Público para intermediar a questão.

As recorrentes reclamações dos munícipes são em relação às faltas constantes do fornecimento de água e a péssima qualidade da água fornecida.

Lisandro Ayres Furtado, Presidente da Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos, ASERPA, esclareceu que desde 2017 o Prefeito Mão Santa determinou que ações fossem tomadas para sanar os vários problemas causados à população, pela Agespisa.

“Em 2017 o Prefeito Mão Santa determinou que realizássemos uma Audiência Pública, que foi realizada com a presença do Prefeito, de representantes da Vigilância Sanitária, Ministério Público, Vereadores e outras autoridades competentes. Na Audiência mostramos todos os itens que a Agespisa vinha descumprindo com o Munícipio, mas nenhuma ação concreta foi realizada pela fornecedora para resolver a precariedade dos serviços prestados à população de Parnaíba”, pontou Lisandro.

Lisandro Ayres esclareceu ainda que a Agência Reguladora vem, ao longo dos anos, recebendo inúmeras reclamações de munícipes sobre o fornecimento de água e a qualidade da água fornecida em vários Bairros da cidade: (João XXIII, Nova Parnaíba, Colina da Alvorada, Frei Higino, São Vicente de Paula, São José…).

“Agespisa sempre lança notas esclarecendo os motivos da falta de fornecimento, sendo que os motivos são sempre os mesmos, manutenções no sistema, mas o que nós observamos é que essas notas nem sempre condizem com a realidade, pois, com ou sem manutenções no sistema, à população sofre, dia sim outro não, com a falta de fornecimento de água, ou o fornecimento de água com alto nível de turbidez”, disse.

Lisandro Ayres e as obras da Agespisa em Parnaíba

Em 2019, o Ministério Público promoveu uma Ação Civil Pública convocando representantes da Agespisa, da Aserpa e do Laboratório Central de Saúde Pública do Piauí, LACEN. Na Ação Civil Pública foi constatada pelo Ministério Público a procedência das reclamações da Prefeitura de Parnaíba, sendo também comprovado pelo Engenheiro Químico da LACEN, Antônio de Sá. Sem solução, o Ministério Público estabeleceu prazos legais para que adaptações sejam realizadas e que os serviços prestados pela Agespisa à população estejam a contento.

Supcom - PMP
Walter Fontenele
Fotos: ASCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Translate

Anuncio google

Racing