11/11/2020

Suspeita de golpes questiona vítima sobre demora de entrega de produto em Teresina: 'Está vindo de jegue ou de jumento'

A mulher foi presa em flagrante pela Polícia Civil após enviar comprovantes de pagamentos falsos. Momentos antes de ser presa, a mulher enviou um áudio para a vítima questionando a demora do entregador.

Delegacia de crimes virtuais recebeu as denúncias — Foto: Lucas Marreiros G1 PI

Uma mulher que não teve o nome informado, suspeita de vários golpes em Teresina, enviou áudio a uma vítima questionando a demora para a entrega de um produto, que ela pretendia adquirir por meio de mais um golpe. Ela perguntou se o entregador estava indo até ela "de jegue ou de jumento."

A demora, contudo, aconteceu porque a vítima estava indo ao encontro da suspeita, acompanhada pela polícia. A mulher foi presa em flagrante no dia 4 de novembro.

“Eu já vou embora, viu? Faz horas que estou aqui esperando e não sei se ele [o entregador] está vindo de jegue ou de jumento, mas eu não vou ficar aqui não. São dois minutos? Duas horas? Eu tenho mais o que fazer e não posso ficar aqui aguardando a hora que ele bem pensa em chegar não”, diz a mulher no áudio.

Golpe do comprovante falso


Criminosos aplicam golpes do falso comprovante e falsificam documentos de pagamentos

De acordo com a empresária, a "cliente" tentou três vezes aplicar golpes para receber os produtos sem pagar. Atenta aos detalhes da transação, a empresária conseguiu escapar do prejuízo nas três tentativas.

Na primeira vez, em setembro, ela comprou várias roupas femininas, mas se recusou a pagar o valor integral, dizendo que pagaria o restante quanto recebesse os produtos. “O meu motoboy entregou os produtos e eu pedi que ela enviasse o comprovante de pagamento, mas ela só transferiu R$ 100. Ela só pagou o restante do valor depois que eu ameacei ir até uma delegacia. Depois de pagar, ela me bloqueou no WhatsApp”, contou a empresária.

A segunda tentativa de golpe aconteceu três dias depois. Na ocasião, a mesma mulher usou um nome diferente, e ligou de outro número de telefone. "Ela entrou em contato novamente só que por outro número, [...] com a mesma conversa de que iria pagar a compra por transferência. Meu entregador foi tentar realizar a entrega, mas ela não apareceu no ponto de encontro", disse.

A mulher foi presa na terceira tentativa de aplicar um golpe. De acordo com a empresária, a mesma mulher voltou a entrar em contato por uma rede social. Dessa vez, ela enviou comprovantes de pagamento falsos, que estavam com os dados alterados. A empresária conseguiu perceber a fraude nos comprovantes e decidiu acionar a polícia.

"Eu, propositalmente, dei o número da conta do meu marido. Por isso, no comprovante que ela forjou aparece o meu nome com o CPF do meu esposo. Eu decidi pegar os prints das conversas e os comprovantes falsos e fui até uma delegacia", disse.

Delegado dá dicas para evitar golpes
Segundo o delegado Anchieta Nery, titular da Delegacia Regional de Crimes de Internet, as transações devem ser marcadas em locais abertos, de preferência onde tenha um fluxo de pessoas.

“Verificar se o pagamento realmente foi creditado e só despachar a mercadoria para a entrega após essa confirmação. Para as pessoas físicas que também querem realizar vendas por plataformas de negociação direta, também é bom confirmar se o pagamento caiu na sua conta. É bom ter muito cuidado, pois na internet as pessoas não são quem dizem ser”, orientou o delegado.

Portal: G1 PI
*Glayson Costa, estagiário sob supervisão de Maria Romero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing