07/08/2020

PI: mulher suspeita de matar colega a tesouradas é indiciada por homicídio duplamente qualificado

A vítima Silvana Oliveira Lima, 35 anos, morreu no dia 1º de agosto após passar três dias internada no Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

Silvana Oliveira Lima foi morta a tesourada por colega de trabalho em Teresina — Foto: Reprodução/Facebook

A Polícia Civil concluiu o inquérito nesta quinta-feira (6) e indiciou a mulher suspeita de matar colega a golpes de tesoura por homicídio duplamente qualificado. A vítima Silvana Oliveira Lima, 35 anos, morreu no dia 1º de agosto após passar três dias internada no Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

No inquérito policial, a polícia concluiu que o crime foi um homicídio com duas qualificadoras. A primeira que impediu a defesa da vítima e a segunda foi o meio cruel como ocorreu o crime.

"As testemunhas confirmaram que a vítima não teve como se defender. As câmeras de segurança mostram a Silvana entrando e saindo da sala, onde estava a suspeita. Em seguida, ela foi atacada pela colega com puxões de cabelo e golpes de tesoura", contou a delegada Luana Alves, do Núcleo de Feminicídio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

A segunda qualificadora do crime foi comprovada pelo laudo do Instituto Médico Legal (IML), que apontou golpes no rosto, mãos, cabeça e outras partes do corpo da vítima. Além disso, a tesoura usada no crime tinha fios de cabelo.

Segundo a delegada Luana Alves, a suspeita escreveu um bilhete contando que estava se sentido perseguida e acusada de roubo na loja em que trabalhava. O papel foi apreendido no auto da prisão em flagrante.

"Conversamos com a proprietária e funcionários da loja. Eles contaram que não há indícios de furto de valores e nem de peças do estabelecimento. Era um sentimento que a suspeita tinha, mas que não condizia com a realidade", destacou a delegada.

‘Botei para matar’, teria dito suspeita

Segundo o delegado Francisco Costa, o Barêtta, coordenador do DHPP, Silvana conseguiu sair da sala depois do ataque e, bastante ferida, foi socorrida por outros colegas de trabalho. O local onde a vítima e a suspeita trabalham fica em frente à Central de Flagrantes, no Centro de Teresina, e os policiais foram rapidamente acionados.

A suspeita foi presa em flagrante. De acordo com o delegado Barêtta, ela se recusou a falar sobre o crime.

“A única coisa que ela teria falado para algumas testemunhas, logo depois do crime, foi ‘botei para matar’”, disse o delegado.

Fonte: Portal G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing