15/04/2020

Valdeci Cavalcante critica isolamento imposto por Wellington e Firmino e pede reabertura do comércio

"Esses decretos foram uma decisão politiqueira, onde eles só pensam em eleição. Esse isolamento horizontal adotado aqui é uma demagogia, algo desnecessário”, disparou o empresário.

Valdeci Cavalcante, presidente da Fecomércio e vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo | Foto: Marcelo Cardoso/GP1

O presidente da Fecomércio, o advogado Valdeci Cavalcante, que também é vice-presidente da Confederação Nacional do Comércio de bens, Serviços e Turismo (CNC), fez duras críticas a postura do governador Wellington Dias (PT-PI) e do prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB), quanto as medidas adotadas por ambos no combate a pandemia de coronavírus no Estado e em Teresina.


Durante entrevista ao GP1 na noite dessa terça-feira (14), Valdeci afirmou que os dois líderes políticos estão se utilizando da covid-19 para se promover politicamente pensando, exclusivamente, nas eleições. Valdeci fez um apanhado e disse que em Teresina de janeiro até a última sexta-feira (10/04), foram expedidas “189 certidões de óbitos e destas, apenas 5 mortes na capital” foram em função do vírus.


“O que acontece é que Wellington Dias e Firmino Filho nunca se preocuparam com a Saúde, tudo que eles fazem é para divulgar atividades que lhes rendam visibilidade política, somente isso. Esses decretos foram uma decisão politiqueira, onde eles só pensam em eleição. Esse isolamento horizontal adotado aqui é uma demagogia, algo desnecessário”, disparou Valdeci.

“Eu asseguro isso porque se você chegar na Receita Federal, nas filas dos bancos, nos ônibus de Teresina onde tem espaço pra 40 pessoas, mas tem 100 se espremendo, isso causa aglomeração. Então como dizer que esse isolamento é para proteger as pessoas? Isso é pura demagogia e politicagem que Firmino e Wellington estão fazendo com o povo. Isso é uma maldade. O Firmino quer eleger um candidato fraco, sem expressão política. Mas a história dele vai ficar marcada”, disparou o presidente da Fecomércio.

Isolamento Vertical

Valdeci Cavalcante disse que é a favor do isolamento vertical, onde apenas as pessoas que integram o grupo de risco devem ficar resguardadas em suas residências. Ele também alertou para um caos, caso em breve, os decretos de Firmino e Wellington não sejam revistos.

“Já foi provado que em clima quente como nosso, o vírus não se prolifera. Aqui temos um sol de 38 graus. Defendo o isolamento vertical, apenas voltado para as pessoas com mais de 60 anos ou que tenham alguma comorbidade. Defendo a reabertura gradual das atividades econômicas, mas tudo adotando os devidos cuidados, como é recomendado. E as pessoas que são do grupo de risco, elas se cuidam por já saberem de suas limitações, como é o meu caso. Portanto, não se justifica fazer o que o Firmino e o Wellington estão fazendo”, repetiu Valdeci.

“Sou a favor que não se faça shows, jogos de futebol, outras atividades que possam aglomerar muita gente. E veja que Teresina fez Carnaval e todo mundo já estava combatendo a covid-19 e mesmo assim não vimos surtos aqui. Firmino sabia de tudo isso e fez Carnaval do mesmo jeito”, criticou ele.

Último suspiro

O vice-presidente da CNC fez mais um alerta e disse que se os decretos de isolamento social forem prorrogados serão desencadeadas as demissões em massa. “Como os empresários daqui têm uma ligação com seus funcionários, até atendendo pedido da Fecomércio, eles estão fazendo todo esforço para não demiti-los, mas se houver uma dilatação dos prazos dos decretos baixados pelo prefeito Firmino e pelo governador, começarão as demissões em massa, caso não consigamos uma decisão judicial para reabertura gradual e responsável das atividades empresariais”, alertou.

Governo Federal

Cavalcante disse ainda que os governadores e prefeitos estão tirando proveito da pandemia para tentar “arrancar” dinheiro do Governo Federal. “O que eles querem é arrancar dinheiro do Governo Federal, como foi aprovado agora pela Câmara, um recurso que ao final vai ser de R$ 180 bilhões para serem destinados aos estados e municípios. É isso que eles querem. Aqui no Piauí tem prefeito torcendo para ter casos de covid-19 para poder decretar calamidade pública e fazer compras sem licitação, para poder ter dinheiro que, ao final, vai sair das costas de todos nós. Nós é que vamos pagar essa conta depois”, disparou.

Dados

Valdeci falou de alguns números levantados por ele, de doenças que causam mais mortes no mundo do que a covid-19. “No mundo o coronavírus já matou 21.297 pessoas, enquanto a fome matou mais de 2 milhões de pessoas e ninguém faz nada. Porque não se toma uma atitude com isso e com a covid-19 estão fazendo tudo isso, prejudicando as pessoas?”, questionou.

Anvisa

O presidente da Fecomércio lembrou que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, decidiu que Estados e Municípios só poderão impor restrição à circulação de pessoas se houver específica recomendação técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “E os entes federados não têm essa autorização, uma vez que Anvisa é um órgão federal e o presidente [Jair Bolsonaro] não está autorizando essa recomendação técnica”, pontuou.

Com a palavra o governador Wellington Dias
O GP1 entrou em contato, na noite desta terça-feira (14), com o governador Wellington Dias e com o coordenador de Comunicação Allisson Bacelar, mas ambos não quiseram comentar as declarações de Valdeci.

Com a palavra o prefeito Firmino Filho
O GP1 também buscou uma resposta do prefeito Firmino Filho e do secretário de Comunicação Fernando Said, mas os dois preferiram não se manifestar sobre as críticas do empresário.

Por: Germana Chaves/GP1 | Edição: Jornal da Parnaíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing