04/12/2019

TCE fiscaliza todos os hospitais estaduais do PI simultaneamente e encontra irregularidades

Alvará da Anvisa vencido, medicação armazenada irregularmente e fora da validade, escalas de plantão não visíveis ao público e problemas na estrutura dos hospitais e de ambulâncias foram encontradas. Sesapi e Fepiserh ainda não se pronunciaram.

Lote de medicação vencida foi encontrado no hospital de Piripiri. — Foto: Reprodução/TCE

O Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI) realiza, desde as 8h30 desta quarta-feira (4), uma fiscalização ordenada em todos os 30 hospitais estaduais do Piauí. As irregularidades encontradas são enviadas em tempo real e estão disponíveis para o público. Um alvará da Anvisa com validade vencida, ambulâncias e fachadas de hospitais em situação precária, além de medicação vencida, foram encontrados nos hospitais.

Da lista de unidades de saúde, (veja a lista completa no site do TCE) 28 são de responsabilidade da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) e duas da Fundação Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiserh) – o Hospital Getúlio Vargas, em Teresina, e o Hospital Regional Justino Luz, em Picos, no Sul do Piauí. O G1 e a TV Clube procuraram as assessorias de comunicação, que informaram que só irão se pronunciar após notificação oficial do TCE.

Ao todo, há 70 agentes de fiscalização nas 30 unidades de saúde, localizadas em 23 municípios. O objetivo é localizar possíveis problemas nas unidades de saúde até as 17h de hoje.

Irregularidades
Durante a fiscalização ordenada, os agentes do TCE estão utilizando equipamentos para envio de informações diretamente dos hospitais em tempo real. Segundo o TCE, os técnicos estão analisando a estrutura dos hospitais, os serviços e as condições de atendimento à população, presença de médicos e demais profissionais da saúde nos plantões, até a situação das cozinhas e alimentos, além das farmácias dos hospitais.

Até as 10h50, os agentes haviam informado diversos problemas em hospitais de 13 municípios. Alguns dos problemas, foram:

Maternidade Dona Evangelina Rosa (Teresina): alvará da Anvisa vencido desde 2017, controle manual de medicamentos (que deveria ser informatizado), medicação em contato com a parede, equipamentos sem uso por estarem danificados e sem contrato de manutenção, condições precárias de limpeza em banheiros e cozinha.

Alvará da Anvisa fora da validade na Maternidade Dona Evangelina Rosa. — Foto: Reprodução/TCE

Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (Parnaíba): paciente esperando atendimento há mais de duas horas, ambulância em situação precária, paciente com pulseira de classificação de risco inadequada.
Hospital Regional Chagas Rodrigues (Piripiri): medicamentos vencidos, além de número do controle do estoque de medicamentos estar divergente do total encontrado no estoque.

Objetivos
O presidente do TCE, conselheiro Abelardo Pio Vilanova, disse que a fiscalização pretende produzir um diagnóstico para orientar os gestores na solução dos problemas apontados.

“É uma ação que deve contribuir para o aperfeiçoamento da gestão pública. Com isso, nós queremos garantir atendimentos de qualidade para a população, especialmente para as pessoas mais carentes”, declarou.



Fonte:  G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing