06/11/2019

Pai de jovem desaparecida faz apelo e condena notícias falsas sobre o caso

Última imagem vista da jovem no domingo ao sair do prédio que fazia o Enem

Fotos: Roberta Aline/Cidadeverde.com

A família da jovem de 17 anos Giovanna Gabriely Belém Oliveira, desmentiu a informação de que a garota havia sido localizada. A estudante está desaparecida há quase três dias, desde às 16h40 de domingo (3), quando foi registrada, por câmeras de segurança, saindo de uma faculdade particular na zona Sul de Teresina, logo após fazer a prova do Enem .

Visivelmente abalado e exausto, o pai da menina, Gudson Costa, confirmou que ela permanece desaparecida.

“Ela não foi encontrada. Fiquei até às 2h da manhã rebatendo fake news de que ela tinha sido encontrada. Eu tive que ficar até de madrugada ontem (5), já cansado de um todo de batalha. Isso está desmobilizando as buscas”, lamenta ele que é pastor de uma igreja no bairro Parque Piauí. 

Até o momento a família não teve nenhuma informação concreta sobre o paradeiro da menina. Após a informação falsa, ele faz um apelo para que a população só encerem as buscas após uma confirmação da própria família. “Eu queria que toda informação, seja positiva ou negativa, por que enfim são três dias, sejam dadas por mim. Peço que as pessoas continuem ajudando”, pede o pai da garota. 

Segundo Gudson, uma força tarefa da Secretaria de Segurança Pública, incluindo a Inteligência da Polícia Civil, trabalha na localização da menina. Ele não confirmou se ligações ou as redes sociais da menina estão sendo analisados nas investigações. “A polícia pediu sigilo. O próprio secretário de Segurança nos recebeu e a esposa do governador disse que é uma questão de honra, tem que encontrar”, disse o pastor.

Gudson ministrava um culto na zona Sul quando foi informado do desaparecimento da menina. 

“O meu hoje é doloroso, é sem entender, mas eu tenho um amanhã garantido por Deus. Eu acredito que tudo tem um propósito de Deus, e tudo isso está acontecendo talvez seja para fortalecer as famílias, que problemas acontecem, que vivemos em uma sociedade perigosa onde tem pessoas ainda más que precisam ser transformadas para não machucarem os outros”, disse o pastor que está afastado das atividades pelo abalo emocional.

Fora de Teresina

O pai de Giovanna acredita que a jovem não está tendo acesso a campanha de buscas. 

“Acredito que ela não está tendo acesso a essas informações porque senão ela teria já dado um sinal ou ligado para a gente dizendo: ‘Olha pai, eu não quero voltar, eu tô bem’, mas até então não aconteceu isso”.

A família não descarta a hipótese de que a menina tenha saído de Teresina.

“Como se ela estivesse dentro de uma casa, ou em um sítio ou em um lugar afastado ou mesmo fora de Teresina, que essa hipótese não é descartada. Mas tem uma mobilização em todo o estado”, disse Gudson.

Histórico

De acordo com familiares, Giovanna já havia saído outras vezes. “Ela já teve outras saídas dessas, mas eram saídas curtas, não chegava a tanto tempo como dessa vez”, lembrou o pai da menina. 

Comportamento

Questionado sobre o comportamento da filha às vésperas do desaparecimento, Gudson relatou que Giovanna estava de bom humor e animada após ter participado de um evento na escola, em que, junto com outros estudantes, foi surpreendida com muitas homenagens da família..

“Ela estava muito alegre, muito motivada pelo Enem, porque ela queria ser enfermeira, como a mãe, minha esposa é enfermeira. Teve eventos na escola, estava muito bem”, disse. 
No dia da prova, Giovanna havia combinado com a mãe que iria buscá-la às 18h30. "A mãe dela ficou até tarde, esperando que ela saísse e os fiscais dizendo que não havia mais ninguém lá dentro, que todos os candidatos já tinham saído", contou o pai.

Gudson relata que a esposa, mãe da menina, está muito abalada. Além de Giovanna, o casal tem um filho caçula.

Solidariedade

O desaparecimento de Giovanna é um dos assuntos mais falados na cidade. Milhares de pessoas estão compartilhando a foto da menina nas redes sociais. “Tem gente lutando com a gente e sentindo essa dor como a gente, adotando ela como se ela fosse filha também”, agradeceu o pai. 


Valmir Macêdo
valmirmacedo@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing