01/11/2019

Em vídeo, funcionárias de hospital no Piauí denunciam estar com 10 meses de salários atrasados

A prefeitura afirmou que os pagamentos deveriam ser feitos com recursos enviados pela Secretaria de Estado de Saúde. A Sesapi informou não ter contrato com os funcionários.

Funcionárias divulgam vídeo denunciando meses de salários atrasados no Piauí — Foto: Reprodução

Funcionárias do Hospital Nilo Lima, na cidade de Castelo do Piauí, divulgaram um vídeo em que afirmam estar, com dez meses de salários atrasados desde o ano de 2016 até 2019. Neste ano, os funcionários teriam recebido apenas quatro meses. A Prefeitura de Castelo do Piauí afirmou que os pagamentos deveriam ser feitos com recursos enviados pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesapi), que estão atrasados. A Sesapi informou não ter contrato com os funcionários.

No vídeo, nove funcionárias do hospital pedem ajuda e afirmam que já são quase onze meses de salário atrasado. Elas dizem que, ao todo, são quatorze funcionários com salários atrasados, entre auxiliares de enfermagem, trabalhadores do setor de limpeza e vigilantes. Os meses em atraso não são seguidos, mas se acumulam desde o ano de 2017.

“Todos nós temos nossas necessidades materiais. Cada um de nós aqui hoje tem uma história com relação a esse problema que estamos enfrentando”, diz uma das funcionárias. “Estou em depressão, doente. E trabalho todo santo dia doente. Tive um acidente dentro do hospital, estou com uma perna que só vendo para acreditar”, relata outra.

Em entrevista ao G1, um dos funcionários, que pediu para não ser identificado, explicou que eles tinham um contrato ainda da época em que o hospital era de responsabilidade do Governo do Estado. O hospital foi municipalizado em 2009, e a prefeitura continuou pagando os salários com recursos enviados pela Sesapi.

Hospital Nilo Lima, em Castelo do Piauí — Foto: Reprodução

Desde então, os funcionários não foram dispensados, e continuaram a trabalhar sem nenhum contrato com a prefeitura. Segundo a secretária de Saúde de Castelo do Piauí, Leila Soares, desde 2016 os repasses têm chegado com atrasos e reduções.

Segundo ela, em 2017 o município recebia R$ 80 mil. Em 2019, com as reduções, o recurso é de R$ 30 mil. Os valores são destinados não apenas para o pagamento destes funcionários, mas para o custeio de todo o hospital.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing