04/06/2019

Diretor do documentário 'Niède' conta que a arqueóloga ainda não viu ao filme

Em visita ao Piauí para fazer o lançamento do documentário no Parque Nacional Serra da Capivara, diretor Tiago Tambelli destacou o trabalho transformador da arqueóloga.

História da arqueóloga Niède Guidon é contada em documentário produzido no Piauí — Foto: Divulgação

O diretor do filme ‘Niède’, Tiago Tambelli, veio ao Piauí para participar da exibição do documentário, que será realizada no Parque Nacional da Serra da Capivara, na cidade de Coronel José Dias, 415 km de Teresina. Em entrevista ao G1, ele destacou a importância que a arqueóloga Niède Guidon representa para a história do homem americano.

"Niède está no hall das mulheres mais importantes da cultura brasileira, em toda sua história”, declarou.

O cineasta contou que será na exibição desta quarta-feira (5) a primeira vez que a arqueóloga assistirá ao filme sobre sua vida e trabalho. "Eu encontrei com a Niède lá no Programa do Bial, onde fui participar junto com ela, e ela perguntou assim: 'nossa Tiago, mas você não vai mandar o filme pra mim?'.

Tiago Tambelli destacou importância da arqueóloga para história — Foto: Andrê Nascimento/G1 PI

Tiago conta que explicou que não enviaria o vídeo para que Niède, para que a arqueóloga não o assistisse primeiro em uma tela de computador. Decidiu esperar para que ela assistisse na Serra da Capivara, cercada pela comunidade.

"A experiência de ver o filme ao ar livre, na Pedra Furada, junto da sua comunidade, sem dúvida alguma vai ser inesquecível pra ela", contou.

Até agora, o documentário Niede, que conta em 135 minutos a trajetória da arqueóloga responsável pelas pesquisas que revelaram um tesouro arqueológico no Sul do Piauí, foi exibido apenas em São Paulo e no Rio de Janeiro durante o "É Tudo Verdade", o maior festival de documentários da América Latina.

Equipe fez diversas visitas à região de São Raimundo Nonato, no Piauí, entre 2016 e 2019 — Foto: Divulgação

Segundo o diretor, o documentário ' Niède' contou com a participação de 25 profissionais, desde a fase de pesquisas, iniciada em 2016, até a finalização. Juntando tudo, foram quase dois anos de trabalho para abarcar a vida e obra de uma das maiores arqueólogas brasileiras.

O filme segue inédito nos cinemas. Segundo o diretor, Niède ainda deve ser exibido em outros festivais, e chegar às salas de cinema de todo o Brasil no final do ano. "Nossa intenção é que a estreia comercial seja nos cinemas do Piauí”, disse Tiago.

Impacto na região
Tiago Tambelli dirigiu em 2012 o documentário "Das Almas" sobre uma vila de pescadores da cidade de Bitupitá, no Ceará, localizada na divisa litorânea do estado com o Piauí. Da experiência ao fazer o filme veio à habilidade para se aproximar de comunidades rurais, a facilidade em emergir na realidade de pessoas do meio rural.

Para o diretor, tanto para o seu trabalho como para o de Niède Guidon, se faz necessária à humildade em reconhecer o valor dos conhecimentos de povos tradicionais.

"Quem levou Niède para conhecer os caminhos da Serra da Capivara foram os mateiros. E eles foram aprendendo com ela técnicas arqueológicas, para ajudar nas descobertas. Sozinha ela não conseguiria realizar as escavações" disse.

Mais de 40 anos depois, o impacto do trabalho da arqueóloga é visível não apenas na academia e no suporte turístico do parque: escolas, museus e até um campus universitário surgiram diante da demanda.

"E você vê que as coisas estão interligadas. Porque um dia Niède vai partir. E quem pode dar seguimento a essas histórias? As pessoas que vivem nesse local, que se tornaram agentes de transformação da própria comunidade", disse Tiago Tambelli.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing