13/02/2019

Mão Santa pede direito de resposta à TV Costa Norte para esclarecer a verdade sobre o COREDEPI



A chefia de gabinete do Prefeito de Parnaíba, Mão Santa, enviou ofício ao Diretor da TV Costa Norte solicitando Direito de Resposta na emissora face às inverdades ditas pelo vereador Ricardo Véras, em entrevista ao Jornal da Costa Norte. Perguntado sobre o Consórcio Regional de Desenvolvimento da Planície Litorânea (COREDEPI), o vereador passou a tecer diretas criticas e acusações contra o Prefeito de Parnaíba, em razão do chefe do executivo ter decidido pela retirada do município de Parnaíba desse consórcio. Dentre outras acusações, afirmou que o Prefeito seria contra o tratamento oncológico em Parnaíba, isso porque o chefe do executivo municipal mandou à Câmara um projeto de Lei para a retirada do município de Parnaíba do referido consórcio. 

Durante a entrevista o vereador afirma que o tratamento de oncológico em Parnaíba teria sido trazido em razão do consórcio, pois o Ministério da Saúde exigia 400 mil habitantes para ser possível ofertar esse tratamento; acusou o prefeito de não saber usar esse instrumento que seria o consórcio. 

No ofício é dito que “essas graves armações demonstram o total e absoluto desconhecimento do Vereador Ricardo Veras sobre o consórcio, defendido, dentre outros, pelo seu partidário politico que é atualmente Secretário de Saúde do Estado, Florentino Neto, candidato derrotado nas últimas eleições municipais em Parnaíba, o qual fez o vereador questão de elogiar durante boa parte da entrevista. 

O consórcio denominado COREDEPI, nada tem a ver com tratamento oncológico em Parnaíba- diz ainda o documento. “Tanto não tem a ver que o Secretário do Consórcio, Joaquim Neto, relatou ao Prefeito Mão Santa, na reunião do dia 08 de Fevereiro de 2019, que ocorreu com representantes dos 11 municípios em Parnaíba, que o objetivo maior desse Consórcio era que o Ministério Público estava cobrando que Parnaíba recebesse todo o lixo desses 11 municípios, isso quando o aterro sanitário de Parnaíba não possui capacidade para isso”

“O Consórcio nunca chegou a lugar algum, assim como nunca iria chegar porque o custo para a construção de aterros sanitários no Brasil é em torno de R$ 525,8 milhões, para um aterro de grande porte (2 mil toneladas/dia de lixo); R$ 236,5 milhões, para um de médio porte (800 toneladas/dia); e R$ 52,4 milhões para um de 100 toneladas/dia, conforme dados de estudo para instalação e operação de aterros sanitários feito pela Fundação Getúlio Vargas”. 

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO
“O município de Parnaíba, não pode parar, viver de ilusão e retroceder ao tempo de enganação. A administração deve manter os pés no chão e ter responsabilidade com a coisa pública. Não é necessário ser nenhum expert para saber que os 11 municípios desse consórcio, incluindo o de Parnaíba, não possuem condições financeiras de construir e operar um aterro sanitário sequer de pequeno porte, pois de onde sairia R$ 52,4 milhões, que seria o valor necessário para criação de um aterro de pequeno porte? Seria uma enganação passar para a população de Parnaíba que com R$ 30.000,00(trinta mil reais por mês) seria capaz de construir um aterro, pois este é o valor total mensal que os 11 municípios iriam contribuir, sendo esta uma das finalidades para as quais foi criado o consórcio”. 

“O que a administração municipal deve fazer nesse momento é realizar os atos necessários a adequação a Lei Federal, que trata do Gerenciamento dos Resíduos sólidos, e isso o Prefeito Mão Santa já vem fazendo, pois o município de Parnaíba não contava sequer com o Plano Municipal de Saneamento Básico, plano este que o prefeito Mão Santa, em cumprimento a Lei Federal e atento para não perder recursos Federais para aplicação na área de Saneamento Básico, apresentou à Câmara Municipal para votação já tendo sido inclusive aprovado. A única coisa que o município adquiriu ao aderir esse consórcio foram dívidas, pois foram alugadas desnecessariamente várias salas no Dunas Shopping, sob o pretexto que serviriam para funcionar a administração do Consórcio, não sendo pagos os aluguéis dessas salas, endividando desnecessariamente o erário do município de Parnaíba”. 

“Importa ressaltar que, de forma alguma, o prefeito Mão Santa, que é defensor da vida, médico com quase 50 anos de serviços prestados à população de Parnaíba, é contra o tratamento oncológico em Parnaíba, não custando reprisar que a saída do município de Parnaíba do consórcio, em nada afetará a continuidade desse tratamento na cidade de Parnaíba, podendo a população ficar tranquila quanto a isso. Quanto à decisão da administração municipal sair desse consórcio foi a mais sensata, não existindo nada de retrocesso, como afirmou o Vereador Ricardo Veras que, como toda população de Parnaíba sabe, faz oposição ferrenha a atual gestão municipal, tendo sido situação e apoiador da gestão do ex-prefeito Florentino”. 

“A saída do município de Parnaíba do Consórcio, em nada impede que os demais 10 municípios continuem e venham a construir seu aterro sanitário, até porque com a saída de Parnaíba, houve a redução de apenas R$ 9.500,00(nove mil e quinhentos reais) mensal que seria sua contribuição. “Já que o Vereador Ricardo Veras diz que é tão bom o consórcio, sendo um retrocesso a saída do município de Parnaíba, devem os demais municípios continuarem e botarem pra frente o referido Consórcio”.

Fonte: Blog do B. Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing