02/09/2018

PI: Suspeito de estupro faz buraco em cela e foge de delegacia


Divulgação / Polícia Civil

Um suspeito de estupro identificado pela Polícia como Edigleuson do Nascimento, de 22 anos fugiu da delegacia de Paulistana após uma semana preso temporariamente para investigação. De acordo com o delegado Cícero de Oliveira titular do município, o suspeito apenas forçou um pouco a parede que cedeu e ele conseguiu fugir por um buraco na cela.



"Ele estava em prisão temporária e após sua prisão no dia 23 continuamos as investigações. Até que na madrugada do dia 31 de agosto ele perfurou o buraco na parede da cela e fugiu. Na verdade nas condições de hoje em Paulistana só fica preso quem quer", afirmou o delegado.

Para o policial, Edigleuson é um suspeito de alta periculosidade tendo inclusive várias passagens por outros crimes. "Ele já respondeu por tráfico de drogas, roubo, resistência, desacato a autoridade e uma vasta ficha criminosa", completou.



O delegado justifica que o suspeito permaneceu na delegacia pois havia a necessidade de proximidade do suspeito da delegacia para que contribuísse com a investigação.

O crime
De acordo com o delegado o estupro ocorreu no dia 19 de agosto, quatro dias antes de sua prisão. O suspeito teria invadido a casa de uma mulher de 37 anos, que estava com sua neta e a estuprou na frente da menina, de apenas cinco anos. "Eu já havia pedido a prisão temporária e demos cumprimento logo que conseguimos. A prisão se deu para investigar o caso e embasar uma possível denúncia contra o suspeito", afirmou o delegado.

Más condições
Cícero de Oliveira explica que oito policiais se revezam em regime de plantão na unidade, mas que a estrutura é tão precária que eles temem até o desabamento do local. "São oito policiais se revezando por dia mas no momento só havia um policial. Desde que eu cheguei aqui que eu faço esse pedido para os secretário, agora que estamos com secretário novo também já solicitei, mas até o momento não obtivemos nenhum retorno. A estrutura é muito precária e inviabiliza totalmente as condições de trabalho", completa o delegado.

O policial afirma ainda que alguns agentes da unidade ficam constantemente doentes por conta de infiltrações, mofo e poeira que se acumulam no local. "É constante o afastamento de servidores com problemas de saúde por conta das infiltrações e poeira. O pessoal com problema alérgico se afasta com frequência por conta das condições", completa o delegado.

Em imagens enviadas pela Polícia Civil é possível observar a situação de abandono do prédio, além de móveis quebrados e problemas estruturais graves.

O Cidadeverde.com fez contato com a Secretaria Estadual de Segurança mas até a publicação da matéria não obteve retorno.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing