26/08/2018

Escamoteamento: ex-prefeito recebia propina em espécie, diz investigação



O relatório da 3ª fase da Operação Escamoteamento no qual o Cidadeverde.com teve acesso mostra como o aplicativo whatsApp foi peça importante para desbaratar a quadrilha. Na quinta-feira (23), o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual, prendeu o ex-prefeito de Buriti dos Lopes, Bernildo Duarte Val, e mais 7 pessoas suspeitas de corrupção. 


A 3ª fase da operação se deu em torno da delação premiada da empresária Ana Carolina, presa na 1ª fase ainda em abril do ano passado. No aparelho de celular dela foram encontrados indícios fortes de como o esquema funcionava. 

Segundo o relatório, ficou evidenciado, pelas conversas de whatssap anexadas a investigação, que Jansen Nunes (preso na quinta-feira) em companhia de Ana Carolina, por diversas vezes, deslocou-se de Tianguá para o município de Buriti dos Lopes a fim de levar em espécie a proprina para o então prefeito Bernildo Val e seu irmão Juscelino Duarte Val.

"A quebra do sigilo telefônico de Ana Carolina no período, devidamente autorizada por este juízo, permitiu a que se chegasse a tal conclusão", diz o relatório.

Durante a investigação, o Ministério Público do Piauí solicitou o bloqueio no total de R$ 8.388.822,64 de bens dos investigados, valor este inicialmente detectado de prejuízo ao erário.

A operação teve o apoio e participação no cumprimento dos mandados, da Controladoria Geral da União, Tribunal de Contas do Estado do Piauí, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil do Piauí e Polícia Militar do Piauí, além do Ministério Público do Estado do Ceará.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing