05/07/2018

Professora viaja mais de 3 mil km em busca de filho desaparecido no Piauí

Caso é acompanhado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que auxilia nas buscas. A mãe pede a quem tenha informações que entre em contato.

Professora viaja mais de 3 mil km em busca de filho desaparecido no Piauí (Foto: Lucas Marreiros/G1)

A professora Reginalda Parente De Avila, 66 anos, viajou mais de 3 mil km, de Pinheiro Machado, no Rio Grande do Sul, para Teresina, no Piauí, em busca do filho, Patrick Parente De Avila, 39 anos, que ela não vê há cerca de dois anos. O caso é acompanhado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que auxilia a mãe nas buscas.


“Meu filho veio para cá e casou com uma moça daqui. Ele é dependente químico e ela não aguentou essa vida e o deixou. Ele se controlou por um tempo, mas eu acho que ele se descontrolou e agora está na rua exposto a todo risco”, informou Reginalda ao G1.

Caso é acompanhando pelo Departamento de Homicídio e Proteção À Pessoa (DHPP). (Foto: Lucas Marreiros/G1)

A professora procurou a Promotorias de Justiça em seu estado e pediu ajuda depois que perdeu contato com o filho. “Antes ele ligava, de um telefone ou de outro. Mas desde maio que não falo com ele. Lá na promotoria ligaram a polícia daqui, que disse que iria ajudar”, contou.

No Rio Grande do Sul, a mãe foi informada por conhecidos de Patrick que o filho foi detido pela polícia no dia 18 de junho. “Ele andou fazendo algo de errado e o levaram para a Central de Flagrantes. Mas viram que ele é usuário de drogas, que tinha só tentado e o liberaram”, relatou Reginalda.

A professora chegou na capital piauiense no sábado (30) e procura pelo filho nas ruas. “Depois que me mandaram fotos dele machucado eu vim, saí de lá para cá para procurá-lo, mas é uma cidade enorme, é difícil de achar", desabafou.

"Rodei dia e noite por tudo que é lugar procurando, mostrando foto e perguntando para um e para outro. Um diz que viu aqui, outro diz que viu ali, mas nada de encontrarmos ainda”, disse a mãe.

Equipes do DHPP fizeram diligências para tentar localizar Patrick, mas seu paradeiro ainda é desconhecido. “Eu vou procurar junto com eles. Só tenho uma foto dele que está mais atualizada, para ajudar as pessoas a identificá-lo", afirmou Reginalda.

"Peço que quem souber de alguma informação, que me ajude a encontrá-lo ligando para (53) 99117-4745 ou (53) 99134-6213”, pediu a mãe.

Fonte: G1/PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing