24/01/2023

Resgate de avião roubado vai demorar 3 a 4 dias e conserto pode chegar a R$ 500 mil; dono avalia vender aeronave

Neurologista Jacinto Lay é o dono do monomotor roubado no Piauí. A família dele informou que a Polícia Civil do MT entrou em contato nesta segunda-feira (23).

Avião caiu na região de Itapaiuna, em Juara, a 690 km de Cuiabá — Foto: Cedida

O resgate do avião Cessna 206 PT-DQF, que foi roubado de dentro do Clube do Ultraleve, em Teresina, no dia 14 de janeiro, vai demorar entre três e quatro dias. A aeronave vai precisar ser desmontada para caber em um caminhão e fazer a viagem de volta para Teresina, pelo chão.

O avião caiu no domingo (22), em Juara, região noroeste de Mato Grosso (MT). O piloto e o copiloto conseguiram fugir, mas três pessoas que estavam no local para prestar apoio logístico aos pilotos foram presas. O avião teve seus sinais de identificação e pintura adulterados.

O médico Jacinto Lay, dono do avião, disse que um piloto e um mecânico de aeronaves foram enviados até a cidade de Juara, no Mato Grosso, para desmontá-lo. As asas serão retiradas para que ele caiba em um caminhão comum.

Em Teresina, os mecânicos vão avaliar as condições do avião e o que é preciso para consertá-lo. O avião é avaliado em R$ 2 milhões.

"Ainda vamos fazer o orçamento quando a aeronave chegar, mas estima-se que o resgate e o conserto vão custar em torno de R$ 500 mil", comentou o dono do avião.

Avião caiu na região de Itapaiuna, em Juara, a 690 km de Cuiabá, teve sinais identificadores adulterados após ser roubado em Teresina — Foto: Instagram

O médico comentou ainda que, após avaliar o orçamento, vai decidir se fica ou não com o avião. De toda forma, ele garante que vai continuar voando. "Eu sou piloto desde 2001, e nem pensei nisso [em parar]".

Avião encontrado no Mato Grosso

Ultraleve modelo Cessna 206 PT-DQF — Foto: Reprodução/Redes sociais

A Polícia Civil do Piauí confirmou que o avião monomotor que caiu no domingo (22), em Juara, região noroeste de Mato Grosso (MT), é a aeronave roubada de dentro do Clube de Ultraleve do Piauí, na estrada da Cacimba Velha, em Teresina, no dia 14 de janeiro.

O avião, que possivelmente tinha como destino a Bolívia, realizou um pouso forçado em uma área de pastagem, numa fazenda localizada a 80 km da cidade de Juara. O pouso forçado se deu pela falta de combustível na aeronave.

O ultraleve pertence ao neurologista Jacinto Lay. De acordo com a família do médico, a Polícia Civil mato-grossense entrou em contato para informar que, após averiguação, foi confirmado que o avião encontrado era de propriedade dele e o piloto da aeronave vai até o MT para verificar o avião.

Em imagens divulgadas pelo médico nas redes sociais é possível ver que a aeronave é branca com detalhes em azul. Diferente da que caiu, que tem inscrições na cor vermelha.

Contudo, a polícia mato-grossense constatou que o avião que caiu foi pintado recentemente e que havia alguns adesivos na lataria, colocados provavelmente com o intuito de despistar as polícias. Além disso, foi identificado que a plaqueta de identificação da aeronave era divergente da que estava no avião.

Três pessoas foram presas no domingo (22) suspeitas de darem apoio aos integrantes da aeronave. A Polícia Civil de MT informou que a aeronave era tripulada por duas pessoas que seriam bolivianas e que elas tentaram fazer um pouso de emergência, mas perderam o controle e caíram. Essas pessoas deixam o local após a queda e ainda não foram localizadas.

Investigação
A Polícia do Piauí contou com o apoio das equipes de inteligência das regiões Norte e Nordeste, além da Força Aérea Brasileira. As investigações deram conta que a aeronave estava circulando na região do Estado do Mato Grosso para o tráfico de entorpecentes por um cartel boliviano.

Por este motivo, estava sendo realizado o monitoramento dos aeroportos e aeródromos da região para identificar e controlar a venda de combustível.

O roubo
Pelo menos seis criminosos fortemente armados invadiram o Clube de Ultraleve do Piauí, na estrada da Cacimba Velha, em Teresina, durante a madrugada do dia 14, e roubaram o avião.

A coordenação do aeroclube relatou que os criminosos portavam metralhadoras e renderam o vigia, a esposa grávida dele e três filhos pequenos do casal. Em entrevista à TV Clube, a mulher que está no oitavo mês de gestação relatou os momentos de desespero.

“A pessoa entrou na nossa casa armada perguntando ‘cadê o caseiro?’, arrastando os filhos da gente para um quarto com arma na mão. A gente fica naquele susto, com medo de acontecer qualquer coisa. Eles disseram ‘A gente veio só fazer uma ação aqui, não vamos mexer com vocês, não reajam, que eu não vou fazer nada com vocês’", contou.

Quatro dias após o roubo, o secretário de segurança do Piauí, Chico Lucas, informou que suspeitos de envolvimento no roubo do avião foram identificados.

Conforme o gestor, investigações do Grupo de Repreensão ao Crime Organizado (Greco), em parceria com a Polícia Federal, apontam que o monomotor teria sido roubado para ser utilizado no tráfico de drogas.

"Sabemos pessoas envolvidas. A gente tem informações, tem o caminho que levou ao financiamento desse roubo. Esse avião é muito desejado por facções, traficantes, porque é de pequeno porte, que consegue pousar e decolar em pistas pequenas, e consegue levar um peso muito grande. Além de voar abaixo do radar", disse.

'Nunca pensei que iriam roubar um avião'
Neurologista Jacinto Lay teve avião de R$ 2 milhões roubado no Piauí — Foto: Reprodução/Instagram

O neurologista Jacinto Lay conversou com o g1 sobre o roubo do seu avião, avaliado em R$ 2 milhões. "Nunca pensei que iriam roubar um avião. É a primeira vez que ouço falar disso aqui no estado. A sensação é de insegurança, impotência, é muito triste o que aconteceu", declarou.

Fonte: Portal G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing