08/01/2023

Criminosos usam golpe da paquera virtual para extorquir médicos e profissionais do Piauí

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde.com

A Polícia Civil do Piauí investiga a atuação de uma quadrilha que aplica o golpe da paquera virtual em vítimas no estado, mas principalmente em Teresina. Os alvos são médicos, advogados, engenheiros e até parlamentares do Piauí. Uma das vítimas, os criminosos extorquiram em mais de R$ 40 mil.

Os casos têm sido investigados em várias delegacias do estado, entre elas o 5º DP, na zona Leste de Teresina. Segundo apurou o Cidadeverde.com, a quadrilha atua no Instagram e pelo Facebook.

O golpe inicia quando uma jovem atraente, que lega ter 18 anos, entra em contato via Instagram ou Facebook com homens, geralmente casados, mandando mensagens privadas. Ela diz que é de Teresina, Caxias ou de São Luís (MA).

O primeiro passo dos golpistas – usando a figura de uma mulher - é contactar com as vítimas pedindo para segui-la na rede social. Outro meio de contato é através do inbox em perfis de profissionais que estão com a rede aberta ao público.

Segundo relato das vítimas, a foto do perfil usada pelos golpistas é muito atraente, e tenta atrair as vítimas por meio da beleza, mandando mensagens provocativas.

Uma das vítimas relatou a Polícia, que a mulher inicia a conversa, e após alguns dias passa a enviar imagens íntimas dela, e então começa uma troca de fotos e vídeos íntimos.

A partir do momento que a quadrilha recebeu diversas imagens intimas das vítimas, começa a segunda etapa do golpe. Ela avisa que é menor de idade e que seus pais descobriram a troca de mensagens. Aproveitando o desespero das vítimas, ela sai de cena e entra os falsos pais que fazem extorsão e afirmam que vão denunciar o caso para a polícia, pois a jovem seria menor de idade.

O Cidadeverde.com apurou que algumas vítimas pagam a extorsão em R$ 30 mil, R$ 40 mil para evitar um escândalo, no entanto, os criminosos passam a fazer inúmeras cobranças semanas seguintes.

Quadrilha se passa por delegado
Outro método criminoso, o grupo usa a imagem de um delegado com o símbolo da Polícia Civil. A quadrilha entra em contato com a vítima por meio de mensagens, informando que é um delegado e que será aberto um inquérito sobre o caso, mas que não daria andamento a investigação, se fossem repassados valores para acalmar a família da adolescente.

Segundo a Polícia, diversos profissionais estão sendo alvo da quadrilha. O golpe da paquera virtual tem crescido principalmente em Teresina.

Flash Yala Sena e Bárbara Rodrigues
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing