28/09/2022

Família de estudante desaparecido contrata investigação para solucionar o caso, no Piauí

Foto: Reprodução/Instagram @luccasliv

A família do estudante Lucas Vinicius, desaparecido desde a madrugada do último dia 24 de abril em Teresina, contratou um instituto particular de São Paulo para realizar a perícia e uma investigação paralela acerca do caso, que também segue sendo apurado pela Polícia Civil do Piauí.

Segundo Ana Lúcia, mãe do estudante, os serviços privados de investigação foram contratados pela família há cerca de um mês e meio devido a demora dos órgãos públicos piauienses em solucionarem o caso. “Sim, contratamos quando o inquérito estava quase fechando. Sem condições”, disse ao Cidadeverde.com.

De acordo com o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o inquérito iniciado pela Delegacia de Desaparecidos ainda aguarda o resultado de alguns laudos periciais realizados ao longo dos cinco meses de investigação, como a extração de dados dos celulares de Lucas e Gabriela Vasconcelos, sua namorada.

“A autoridade policial às vezes fica presa a esse trâmite entre o exame pericial e o pedido que ela faz. Há uma demanda, acredito que no setor de perícia, mas acredito que tanto nós como a família ficamos nessa angústia, a família principalmente porque quer uma solução. A demora não é uma escolha da autoridade policial, é uma necessidade de esclarecer os fatos”, pontuou Francisco Baretta, coordenador do DHPP.

A investigação paralela
Após a solicitação da família, a empresa enviou três investigadores para Teresina. Em dez dias, os peritos colheram informações e ouviram pessoas que estavam na festa em que Lucas foi visto pela última vez. Os profissionais também se reuniram com os órgãos que participam da investigação sobre o desaparecimento.


A previsão da empresa contratada é que o parecer técnico acerca de todo o material colhido até o momento seja divulgado em até 30 dias. “Vai decorrer dependendo dos novos fatos que podem estar por vir. A investigação tem uma data para começar, mas não tem uma data para terminar. cada caso é um caso”, informou Ricardo Resende, perito particular.

A investigação paralela não destaca nenhuma hipótese de desfecho para o caso. “Todo mundo suspeito é investigado, de todas as formas. Tudo tem que ser levado em consideração, de forma minuciosa, para não acusarmos e nem julgar uma pessoa inocente”, frisou Resende.


Versões
Lucas Vinícius foi visto pela última vez na madrugada de domingo (24), no rio Poti, após uma festa, no bairro Cabral, na zona Norte de Teresina. O Corpo de Bombeiros de Teresina foi acionado e as buscas foram iniciadas na manhã seguinte, mas até o momento ainda não foi localizado.

Última pessoa com quem Lucas Vinícius esteve antes de desaparecer, Gabriela sustenta a versão dada em depoimento na Delegacia de Desaparecidos de que o namorado parou o carro em uma das vias da Ponte Juscelino Kubitschek e pulou no Rio Poti.

Em recente entrevista exclusiva dada à TV Cidade Verde, a advogada relatou os acontecimentos que antecederam a noite do desaparecimento do namorado e revelou que vem sofrendo uma série de ataques e ameaças nas redes sociais a responsabilizando pelo caso.


A versão de um suposto suicidio, no entanto, é contestada pelos pais de Lucas, que garantem que o filho nunca apresentou sinais de depressão, como alega a defesa de Gabriela.

Breno Moreno
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing