14/12/2021

Perícia faz reconstituição do acidente envolvendo o advogado Marcus Nogueira

Yala Sena

A perícia do Instituto de Criminalística realiza, na noite desta segunda-feira (13), a reconstituição do acidente que envolveu o advogado Marcus Vinicius Nogueira e deixou uma pessoa morta e outras três feridas, dentre elas um bebê de 8 meses.

Participam da reprodução simulada a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Militar e Polícia Civil. A reconstituição está sendo coordenada por Antônio Nunes, diretor da Polícia Científica, além do perito criminal Rawlinson Ibiapina, relator do laudo.

Trechos das avenidas Higino Cunha e Odilon Araújo, próximo ao Mercado da Piçarra, foram fechados para a realização dos trabalhos.

O delegado Luís Guilherme de Sousa disse que a perícia vai ajudar a identificar a velocidade dos dois carros e se houve invasão de sinal fechado.

“Se houve a existência ou não de imprudência, de ter invadido o sinal vermelho, mostrar a dinâmica. É mais uma coleta de informação de laudo pericial que será juntada com as provas que temos”, disse o delegado.

Durante a reconstituição foram feitas simulações no veículo Siena com velocidades que variam até 50 km/h. A via só é permitida 60 km/h. Com Hillux SW4, a PRF usou radar que constatou velocidade de 60 km/h e até 69 km/h. O perito explicou que a média de velocidade será concluída após outros pontos.


"É bom pecar por excesso. Queremos saber a dinâmica de como aconteceu o acidente”, disse.

A perícia vai ajudar no levantamento. A PRF participa dos trabalhos com um radar. Dois carros similares aos das vítimas estão sendo usados.

A reconstituição teve início na Odilon Araújo com o veículo Siena, onde estava o condutor que morreu na hora. O objetivo é dirimir todas as dúvidas. Mais de 20 peritos participam do trabalho.

Antonio Nunes informou que a perícia está usando como base uma técnica desenvolvida desde 2013 e que foi aplicada no caso Salve Rainha. Trata-se de uma vídeo-análise, onde são comparados vários pontos das vias. Três câmeras mostram a dinâmica do acidente.

Nunes disse ainda que a técnica é usada em outros estados. "Aqui se está estudando a dinâmica da rua, com as medidas de cada ponto, fazendo comparação com os vídeos que flaglaram o acidente, verificando o semáforo e a velocidade dos dois veículos. É um momento para se tirar as dúvidas. Vai ter uma resposta para a sociedade. Não estamos fazendo pré-julgamento e as provas nos guiarão", declarou.

O laudo da reconstituição deve sair em até 10 dias, podendo ser prorrogado por mais 10 dias.

O perito Rawlinson Ibiapina vai ser o relator do laudo. Segundo ele, estão sendo usados dois métodos: dentre eles um de vídeo-análise (que leva em conta pontos da via).

"Vamos pegar a angulação visual do semáforo e detectar a velocidade através da vídeo-análise", disse o perito.

Ele destacou que a análise é um método científico de precisão aceitável, onde as velocidades dos dois veículos estão sendo analisadas.


O acidente aconteceu no dia 2 de dezembro no cruzamento das Avenidas Higino Cunha e Odilon Araújo, no bairro Piçarra. Na colisão, o motorista do Siena, Raimundo Nonato da Silva Oliveira, de 53 anos, morreu.

O acidente
O advogado Marcus Vinicius Nogueira conduzia uma Hilux SW4 que colidiu fortemente no carro Siena, que levava quatro pessoas. Além do motorista Raimundo Oliveira estavam no carro suas duas filhas e a neta, de 8 meses.

Marcus Vinicius Nogueira foi preso em flagrante e solto no dia seguinte após audiência de custódia mediante pagamento de uma fiança no valor de R$ 15 mil. A justiça determinou ainda o uso de tornozeleira eletrônica e o cumprimento de medidas cautelares.

Flash Yala Sena
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Translate

Anuncio google

Racing