15/06/2021

Facção cria "carteira de identidade" do crime; Operação prende 28 pessoas no PI e MA

Roberta Aline / cidadeverde

Os membros da facção criminosa Bonde dos 40 utilizam uma carteira de identificação para comprovar a filiação à organização criminosa. O material foi encontrado na manhã desta terça-feira (15), durante a segunda fase da operação Contraordem, deflagrada pela Polícia Civil, que resultou na prisão de 28 pessoas ligadas à facção.

Na carteira constam dados como nome completo, apelido e uma senha de identificação. No documento também aparecem os lemas da organização criminosa e dizeres como: "Paz, justiça, liberdade e união e igualdade para todos" e "Não há vitória sem luta".

Além disso, a carteira de identificação também possui uma mensagem de boas vindas. "saudações, estamos juntos sempre pelo certo justo e correto, seja bem vindo(a) a organização B.40"

"Essas fichas de inscrição eram uma forma da organização criminosa manter o controle de pessoal dos seus membros. Então, foram apreendidas algumas carteirinhas dessas que vão ser anexadas ao bojo da investigação", destacou o delegado Yan Brayner, do Greco, que coordenou a operação.

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Balanço
Ao todo, foram 28 presos durante os trabalhos da operação desta terça feira. Entre os presos, oito já estavam no sistema prisional, 18 foram alvos de mandados de prisão preventiva e dois foram alvos de prisão em flagrante.

Oito alvos de mandados de prisão não foram localizados e são considerados agora foragidos da justiça.

"Essa organização criminosa já vem atuando a um certo tempo na cidade, oriunda do estado do Maranhão. A gente vai continuar realizando trabalhos como esse para minar o poder dessa facção", destacou o delegado.

Entre os presos, estão membros das mais diversas camadas da organização criminosa ligados à prática de crimes como tráfico de drogas.

De acordo com o Secretário de Segurança, coronel Rubens Pereira, a operação desta terça-feira é uma resposta das forças de segurança a onda de homicídios registrada nos últimos meses em Teresina.

"As organizações criminosas funcionam em rede, por isso a necessidade dessa integração das instituições de segurança para unir força e atuar contra essas facções", destacou o secretário.

Promotor confirma existência de guerra entre facções
Ao avaliar o saldo da operação Contraordem II, o promotor José William, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual, confirmou a existência de uma guerra envolvendo facções criminosas em Teresina pelo comando da venda de entorpecentes.

"O que dá pra dizer é que há uma guerra em curso no estado do Piauí pelo domínio dos pontos de vendas de drogas. Há uma disputa territorial. O estado está atuando no sentido de evitar que essas guerras deixem mais vítimas pelo caminho, sejam os próprios facccionados sejam mortos ou pessoas inocentes", disse.

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Ainda de acordo com o promotor, o trabalho integrado entre as instituições deve continuar.

"O estado não pode permitir que essas facções dominem e que transformem uma cidade, relativamente tranquila, como é Teresina em um inferno por causa dessa disputa entre duas facções criminosas", afirmou.

Após as prisões e a conclusão do inquérito pela Polícia Civil, o Ministério Público deverá apresenta em um prazo de 15 dias a denúncia e a manutenção da prisão dos alvos da operação de hoje

Natanael Souza
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Translate

Anuncio google

Racing