05/03/2021

PM é procurado por suspeita de assalto em centro de distribuição; outros suspeitos foram presos

O policial militar Edivaldo Gomes da Silva, o cabo G. Silva, tem mandado de prisão contra ele e é considerado foragido da Justiça

Centro de Distribuição de Materiais da Equatorial Energia - Piauí, em Teresina — Foto: Ascom/ Equatorial Energia - Piauí

O policial militar Edivaldo Gomes da Silva, o cabo G. Silva, é procurado pela Polícia Civil do Piauí acusado de participação em assalto no centro de distribuição de material da Equatorial Energia, em abril de 2020. Nesta sexta-feira (5), cinco outros acusados foram presos em Teresina e Altos.

A imagem do cabo G. Silva (acima) foi divulgada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) para o caso de alguém ter informações que possam levar ao paradeiro do policial militar, que possui um mandado de prisão em aberto contra ele. Portanto, é considerado foragido da Justiça.

O crime foi investigado pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), que identificou os suspeitos e os prendeu. Depois, sete dos 10 acusados passaram a responder pelo crime em liberdade.

Suspeitos de assaltar almoxarifado da equatorial são presos
"Dois dos que estavam em liberdade eram policiais militares. Um deles foi assassinado e o outro [Edivaldo] continuou em liberdade. Agora, o juiz decretou a prisão de oito dos acusados", informou o delegado Willame Moraes, coordenador da Divisão de Capturas (Dicap).

Cinco dos que estavam em liberdade foram presos. O cabo G. Silva conseguiu fugir. "Apesar das diligências, em vários endereços que ele havia fornecido, em nenhum deles ele residia. Está foragido", afirmou Willame Moraes.

Dois outros acusados tiveram mandados de prisões cumpridos dentro do sistema prisional, porque já estavam presos por outros crimes.

O crime
Na noite de 7 de abril de 2020, um grupo formado por pelo menos seis criminosos rendeu dois vigilantes, que trabalhavam no centro de distribuição de material da Equatorial, na BR-343, em Teresina

Os assaltantes roubaram três armas de fogo e coletes à prova de balas. De acordo com a Polícia Militar, o grupo chegou ao local armado, em um automóvel, vestindo roupas que se assemelhavam a uniforme de policiais militares.

Os bandidos trancaram os vigilantes rendidos em uma das salas da empresa e fugiram em seguida. De acordo com a Equatorial, nenhum objeto de propriedade da empresa foi roubado.

Fonte: Portal G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Translate

Anuncio google

Racing