25/01/2021

Comitê recomenda restrições para bares e eventos no PI após aumento de ocupação de leitos Covid

Alderico Tavares, superintendente de alta e baixa complexidade da Secretaria de Saúde do Estado do Piauí, disse que ocupação de leitos em alguns hospitais da capital já chega a 75%.

COE recomendou restrições a estabelecimentos — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Alderico Tavares, superintendente de alta e baixa complexidade da Secretaria de Saúde do Estado do Piauí, disse nesta segunda-feira (25) que o Comitê de Operações Emergenciais (COE) vai recomendar que o governador Wellington Dias (PT) decrete novas restrições de atividades em bares, restaurantes e eventos para conter a disseminação da Covid-19 no estado.

Segundo ele, a ação foi pensada após discussão com diretores de hospitais da capital, que têm visto a taxa de ocupação chegar a até 75% dos leitos que atendem pacientes com Covid.

“Consideramos que é necessária a adoção de medidas restritivas para acalmar a população, que não respeita as medidas sanitárias, para conter aglomerações devem ser impostas restrições ao funcionamento de bares, restaurantes, e realização de eventos. Sabemos que existe decreto de realizar eventos com no máximo 100 pessoas em locais abertos, mas vemos festas com mais de 2 mil”, disse ele.

O superintendente destacou que diretores de hospitais como o Hospital Getúlio Vargas, Instituto Natan Portela e Hospital da Polícia Militar já estão avaliando e programando a ampliação de leitos de UTI nestas unidades para receber pacientes.

Após o pico da pandemia, vários leitos foram desativados em hospitais da capital, o que acabou gerando aumento da taxa de ocupação, já que a média móvel de casos no estado permanece em cerca de 500 casos por dia desde novembro de 2020, conforme dados divulgados pela Sesapi.

Já os leitos dos hospitais de campanha fechados em Teresina não foram desativados, segundo a Fundação Municipal de Saúde, mas realocados para outras unidades.

Aumento de casos na capital
De acordo com o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, Gilberto Albuquerque, existe uma curva ascendente de casos na capital.

"Desde dezembro essa curva vem aumentando. Pela experiência em outros países e outros estados, para nós também vai ser assim, não vai ser diferente. Então nós estamos acompanhando essa curva ascendente e ela deverá ter um pico no final de fevereiro e março", afirmou.

O gestor disse que tem aumentado leitos em hospitais da cidade. "Aumentamos leitos no hospital do Monte Castelo, no Mariano Castelo Branco, hospital do Dirceu, do Satélite e do Buenos Aires. Estamos expandindo a rede para atendimento Covid. Temos que trabalhar previamente, para que não sermos pegos de surpresa", disse.

Fonte: Portal G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Translate

Anuncio google

Racing