10/09/2020

Casal é novamente preso com drogas e com cultivo de pés de maconha em Cocal-PI

Casal é novamente preso com drogas e com cultivo de pés de maconha em Cocal-PI


Uma operação da Polícia Civil, coordenada pela Delegada Daniella Dinali, com o apoio da Polícia Militar, resultou novamente na prisão de Wesley Ferreira de Souza, vulgo "Lorin", de 32 anos, e de sua esposa, Vania Maria da Silva, 37 anos, além da apreensão de dinheiro e entorpecentes, incluindo três pés de maconha.

A ação policial ocorreu na tarde desta quarta-feira (09/09), na residência onde o casal vivia, situada às margens da PI-301, no trecho que compreende o Bairro Nossa Senhora de Fátima (Bairro 90) ao Assentamento Vidéu em Cocal, município da região Norte do Piauí.

A Delegada Dinali informou ao Blog do Coveiro que a operação teve o intuito de cumprir um mandado de busca e apreensão solicitado por ela, junto a Comarca de Cocal-PI, depois de meses de investigações apontarem fortes indícios de que o casal atuava no imóvel com a traficância de entorpecentes.

No interior da casa investigada os policiais apreenderam uma quantia de pouco mais de R$700,00 (setecentos reais), 65 pedras de crack, 95 trouxinhas de maconha e mais duas trouxinhas de sementes da mesma erva, além de três pés de cannabis sativa. Vania alegou que cultivava os pés de maconha com exclusivo fim medicinal, para combater problemas de saúde. 


O casal e o material ilícito foram levados para a Delegacia de Polícia Civil de Cocal-PI, onde foi lavrado o flagrante e ambos enquadrados no crime de tráfico de drogas. Na sequência, ambos foram encaminhados para a Central de Flagrantes de Parnaíba-PI, onde ficarão recolhidos temporariamente a disposição da justiça.

PRIMEIRA PRISÃO DO CASAL
Wesley e Vania foram presos sob acusação de tráfico de drogas em outra ocasião, no dia 27 de agosto de 2017. No referido processo que tramitou na Comarca de Cocal-PI, a mulher foi absolvida das acusações, enquanto o seu esposo foi sentenciado a uma pena de cinco anos e seis meses de reclusão a ser cumprido em regime semiaberto na Colônia Agrícola Penal Major Cesar de Oliveira. 

A defesa recorreu da decisão, na qual Desembargadores da 1ª Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) reformulou a sentença a reduzindo para quatro anos e dois meses de prisão, também a ser cumprido em regime semiaberto. 

Vale ressaltar que contra Lorin ainda pesava um mandado de prisão, do tipo recaptura, expedido pela Vara de Execuções Penais de Teresina-PI, após o mesmo não retornar para a unidade penal ao ser beneficiado com uma saída temporária, a famosa "saidinha".

Fonte: Blog do Coveiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing