25/08/2020

PI: suspeito de estuprar menina durante festa é solto por falta de profissional para realizar exame em vítima, diz polícia

Segundo a Polícia Civil, a menina não conseguiu identificar o suposto autor do crime. A mãe da vítima e a PM não puderam confirmar se o homem conduzido havia cometido o estupro.

Central de Flagrantes de Teresina — Foto: José Marcelo/G1

O suspeito de estuprar uma menina de 6 anos durante uma festa no Povoado Santa Luz, zona rural de Teresina, foi liberado na tarde desta segunda-feira (24). Ele tinha sido conduzido para a Central de Flagrantes.

Segundo a Polícia Civil, não foi possível realizar o exame que constata o estupro na vítima, por falta de profissional no Serviço de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Sexual (Samvvis).

O G1 procurou a Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi), responsável pelo Samvvis, que ficou de se posicionar sobre a falta de profissional para realizar o exame em vítimas de estupro. Até a publicação da matéria, o órgão não enviou nota.

Em nota, a Polícia Civil informou que o delegado solicitou o exame na vítima, no entanto, o Samvvis alegou que o profissional responsável pelo procedimento estaria com a Covid-19 e não teria substituído naquele momento. Além disso, a Polícia Civil disse que a menina não conseguiu identificar o suposto autor do crime e que nem a mãe ou a Polícia Militar puderam confirmar se o homem conduzido havia cometido o estupro.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

Samvvis fica localizado na Maternidade Dona Evangelina Rosa — Foto: Gilcilene Araújo/G1

Entenda o caso

Um homem de nome não revelado foi preso suspeito de estuprar uma menina de 6 anos durante uma festa na zona rural de Teresina, no sábado (22). De acordo com a comandante do 5° Batalhão da PM, tenente-coronel Joseline Gomes, o suspeito seria um homem que trabalhava no sítio onde acontecia o evento.

“Um adulto teria tentado alguma coisa contra ela e ele estaria trabalhando nesse sítio que a família alugou para promover o evento. A criança saiu correndo e contou para a mãe o que tinha acontecido. Quando a PM chegou até o local, já tinha uma pessoa que havia sido detida e o outro suspeito não estava mais lá”, comentou.

O crime teria acontecido em um lugar sem iluminação, o que dificultou a identificação do suspeito por parte da menina. “Não foi possível identificar quem teria abusado da criança. Ela não soube identificar porque os dois suspeitos têm características parecidas e local era um pouco escuro”, contou a comandante.

Segundo caso no fim de semana

Outro caso, na Zona Leste da capital, também foi registrado neste fim de semana. Uma menina de 11 anos foi estuprada por um familiar, que ainda ameaçou a mãe da vítima, quando esta chamou a polícia.

Confira a nota da Polícia Civil:

A Delegacia Geral de Polícia Civil informa que não foi realizado o auto de prisão em flagrante em virtude da necessidade de maiores investigações que o caso requer, visto que nenhuma das testemunhas ouvidas, PMs e a mãe da criança, apresentadas na Central de Flagrantes de Teresina puderam confirmar a autoria do crime. A vítima também não conseguiu identificar o suposto autor.

O delegado responsável requisitou laudo pericial de exame sexual, que segundo a mãe da menor e policiais militares não foi realizado, já que o SAMVVIS informou aos mesmos que o profissional responsável por tal procedimento se encontrava acometido pela Covid-19, não tendo substituto naquele momento. Todas as informações constam no Relatório de Ocorrência realizado pela Polícia Civil.

As investigações prosseguem a cargo da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente-DPCA.

Fonte: Portal G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing