03/08/2020

Funcionária de presídio morta em bar de Timon pode ter sido vítima de bala perdida, diz delegado

De acordo com o delegado de homicídios de Timon, Antônio Valente, a mulher pode ter sido atingida no fogo cruzado. Ela estava em uma mesa diferente da outra pessoa que morreu baleada.

Camila Gabriely Lopes Oliveira e Carlos Eduardo dos Santos Valadão foram as vítimas do tiroteio em Timon (MA) — Foto: Reprodução/Instagram

A assistente social Camila Gabriely Lopes Oliveira, 30 anos, que trabalhava na Penitenciária Jorge Vieira, em Timon, pode ter sido vítima de bala perdida durante o tiroteio que feriu três pessoas e matou duas na noite de sábado (1°) na cidade de Timon, vizinha a Teresina.

De acordo com o delegado de homicídios do município, Antônio Valente, durante a semana a investigação será na busca pela identificação dos suspeitos e motivação do crime.

"Não podemos descartar qualquer situação, mas num primeiro momento, a gente acredita que ela teria sido vítima de uma bala perdida, porque as pessoas mais visadas pelos executores estavam numa outra mesa, onde estava a outra vítima, o [Carlos Eduardo] Valadão, com cerca de 15 pessoas. No momento em que começaram a correr, que eles intensificaram os disparos, tanto ela quanto uma pessoa que estava na mesma mesa foram atingidas. Infelizmente, ela faleceu e a outra pessoa já foi liberada do hospital", declarou.

O delegado informou à TV Clube que os atiradores estavam encapuzados e, ao avistar os possíveis alvos, iniciaram os disparos. Segundo Antônio Valente, alguns dos atiradores já tinham ido ao local.

"No dia anterior, havia uma aglomeração de pessoas muito maior do que no dia do fato. Os executores chegaram lá, mas creio eu que, pela quantidade de gente, eles resolveram não [atirar]. São pessoas que frequentavam aquele local, já sabemos mais ou menos quem são. A gente quer ver o que eles faziam, quais as atividades deles, para estreitar as investigações. Muitas cápsulas de pistolas calibre ponto 40 foram encontradas no local", disse.

O delegado falou ainda que, até o momento, nenhuma das pessoas envolvidas no caso tem passagem pela polícia. Contudo, ele afirmou que ainda é cedo para dizer, por conta do escasso banco de dados.

Tiroteio em bar na zona rural de Timon deixou dois mortes e três feridos — Foto: Reprodução/Redes sociais

O crime
Um tiroteio em um bar no Povoado Piranhas, zona rural de Timon (cidade vizinha a Teresina), no Maranhão, deixou dois mortos e três feridos por volta das 18h de sábado (1º). As pessoas baleadas foram encaminhadas para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

Segundo a polícia, oito suspeitos armados e encapuzados chegaram ao local e efetuaram mais de 50 tiros. Até o momento, ninguém foi preso.

As vítimas foram Carlos Eduardo dos Santos Valadão, 23 anos, e Camila Gabriely Lopes Oliveira, 30 anos. Eles não estavam na mesma mesa. Carlos Eduardo estudava Educação Física, já Camila era assistente social no presídio Jorge Vieira, em Timon. Para a polícia, eles não eram alvos dos criminosos.

No local, havia pelo menos 30 pessoas no momento dos disparos e muitos chegaram a pular no Rio Parnaíba para fugir dos tiros.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing