03/08/2020

“Ao ser presa ela disse que botou para matar”, diz delegado sobre mulher que assassinou colega de trabalho com uma tesoura

Após ter sido ferida, Silvana Oliveira chegou a ser socorrida e permaneceu internada no Hospital de Urgência de Teresina até o sábado (1º/08), quando não resistiu e morreu

Silvana Oliveira Lima, 35 anos (Foto:Arquivo Pessoal)

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) está finalizando o inquérito que investiga o assassinato de Silvana Oliveira Lima, 35 anos, atacada a tesouradas por uma colega de trabalho, na última quinta-feira (30/07), dentro da loja em que trabalhava. Segundo o coordenador do DHPP, Francisco Costa, o Baretta, a mulher que cometeu o assassinato seria colega de trabalho da vítima e teria dito que “botou para matar”, ao ser presa em flagrante.

“O crime aconteceu bem em frente a Central de Flagrantes e os policiais foram acionados e agiram rapidamente. Ao ser presa ela disse apenas que ‘botou para matar’. Ela já foi para o local disposta a cometer o crime pelo que foi apurado até agora”, falou o delegado.

Ainda segundo Baretta, a vítima foi chamada pela suspeita para uma sala do estabelecimento e atacada de surpresa.

“A assassina chamou Silvana para conversarem e na sala foi surpreendida e atacada. Foram várias tesouradas e a maioria nas costas. A arma foi apreendia junto com a mulher”, disse Baretta.

Após ter sido ferida, Silvana Oliveira chegou a ser socorrida e permaneceu internada no Hospital de Urgência de Teresina até o sábado (1º/08) quando não resistiu e morreu. A polícia ainda não sabe o que teria motivado o crime.

“Nós não sabemos o que aconteceu para que a mulher fosse até o estabelecimento comercial e matasse a vítima. Estamos na fase de investigação e conclusão. Temos provas robustas no inquérito que apura a morte”, explicou o coordenador.

Delegado Baretta (Foto: Ricardo Morais/OitoMeia)

CRIME FOI FILMADO
O delegado Baretta disse ainda que o crime foi todo filmado por câmeras de segurança do estabelecimento e a polícia já está de posse das imagens analisando os detalhes.

“Nós estamos com as imagens e o crime foi todo filmando, mostra todos os detalhes. Após ser ferida, Silvana sai correndo e é socorrida por alguns colegas. Algumas pessoas acionam a polícia que fica bem em frente e a suspeita é presa ainda no local do crime. Não podemos disponibilizar as imagens no momento porque estão sendo alvo de investigação”, detalhou o delegado.

NÚCLEO DE FEMINICÍDIO
O Núcleo de Feminicídio do DHPP passou a investigar o caso depois da morte de Silvana Oliveira e não descartou nenhuma linha de investigação. Segundo Baretta, algumas testemunhas, entre familiares e colegas de trabalho, irão ser ouvidas para que a polícia possa saber a real motivação do caso.

“Nós estamos ouvindo várias pessoas, até porque a suspeita se recusou a falar. Nós estamos tentando chegar a motivação do crime e poder finalizar as investigações. Com a morte de Silvana o caso veio para Núcleo de Feminicídio do DHPP. O que podemos afirmar é que foi homicídio qualificado”, finalizou Baretta.

Fonte: Portal OitoMeia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing