04/06/2020

PI: em ato pela reabertura do comércio, empresários acendem velas na Alepi em alusão a ‘velório da classe’

Empresário informou que o primeiro protesto do grupo foi feito em frente à casa do prefeito de Teresina na noite da segunda-feira (1°). Buzinaço pediu a reabertura do comércio. O ato foi alvo de críticas.

Protesto realizado na noite dessa quarta-feira (3) em frente à Alepi — Foto: Divulgação /Luciano Carvalho

Cerca de 50 empresários realizaram um protesto em frente à Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) na noite dessa quarta-feira (3), pedindo a reabertura do comércio. Os manifestantes acenderam velas em alusão a um velório, com o objetivo de representar o ‘velório da classe’, ou seja, o fechamento de empresas que não vão conseguir se reerguer após a retomada da economia.

Um dos organizadores do movimento, o empresário Luciano Carvalho, explicou que o intuito foi realizar um protesto silencioso. De acordo com ele, as medidas de prevenção ao coronavírus, como o uso de máscara e distanciamento social, foram cumpridas ao longo do ato que aconteceu de 21h a 22h.

“O nosso grupo é formado por mais de 300 pequenos comerciantes. Ontem, nós preferimos não fazer um movimento muito grande até porque tem custos para a gente se movimentar. Nós reunimos cerca de 50 pequenos empresários e fomos fazer, exatamente, o velório de uma classe. A questão de distanciamento social e máscara, tudo isso foi cumprido. Todo o protocolo. Nós não estamos aqui para regredir e ir contra as leis. Nós queremos ser ouvidos, queremos que nossa classe tenha uma alternativa”, afirmou.

Luciano informou ao G1 que o primeiro protesto do grupo foi feito em frente à casa do prefeito Firmino Filho (PSDB-PI), na noite da segunda-feira (1°). Foi feito um buzinaço pedindo a reabertura do comércio.

Os manifestantes ocuparam a rua, tocaram o hino nacional e, em vídeo que circula nas redes sociais, alguns deles proferiram insultos ao gestor, que lamentou a postura e afirmou que os responsáveis vão responder judicialmente por seus atos.

Entretanto, para o empresário Luciano Carvalho, a manifestação foi uma forma de chamar a atenção para a categoria. Segundo ele, os grandes empresários estão resguardados. Porém, os pequenos comerciantes são os que mais estão sofrendo com os decretos que proíbem as atividades econômicas.

“O nosso primeiro movimento foi o buzinaço na frente da casa do prefeito, onde fomos execrados, acusados de várias coisas, sendo que nossa única intenção era chamar a atenção para a nossa classe. Porque nós estamos sofrendo, estamos em uma situação desesperadora. Os grandes empresários são resguardados por dinheiro público, por financiamento. Muitos ali não vão conseguir reabrir as portas. No meu caso, eu tenho duas academias, eu não vou conseguir reabrir. Meus aluguéis estão atrasados, é uma bola de neve. Hoje mesmo, eu estou desocupando um ponto, porque eu não vou conseguir reabrir”, alegou.

Plano de retomada da economia no Piauí

Na terça-feira (2), o governador Wellington Dias (PT-PI) apresentou o plano de retomada organizada das atividades econômicas no estado, que desde o mês de março restringiu o comércio e outros setores da economia por causa da pandemia do coronavírus. O planejamento prevê a flexibilização, mas não foi definida uma data de retorno.

Serão três fases de retomada, dividida por setores, cada uma com uma cor específica que determina o grau de prioridade: verde (alta priorização), amarelo (média priorização) e verde (baixa priorização). A definição da "prioridade" envolve o quanto o setor é importante para a economia, o que ele gera de emprego.

Setores da flexibilização da economia no Piauí — Foto: Reprodução

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing