06/04/2020

'Estuprador em série' preso no Piauí filmava e obrigava familiares a presenciar crimes, diz polícia

Homem é suspeito de praticar pelo menos 20 estupros em quatro estados, dois deles em menos de 48h. Segundo a polícia, ele amarrava a vítima e seus familiares, para em seguida filmar o crime.

Homem foi preso suspeito de pelo menos quatro estupros em três cidades no Piauí e Maranhão — Foto: Greco/ Polícia Civil do Piauí

O homem identificado pela polícia como um "estuprador em série" amarrava as vítimas e os familiares delas antes de cometer os crimes, de acordo com a Polícia Civil do Piauí. Segundo os delegados responsáveis pela prisão de Edivan na madrugada desta segunda-feira (6), em Teresina, ele forçava a família das vítimas a presenciarem a violência sexual, além de filmar a violência sexual. Ele é suspeito de mais de 20 estupros em quatro estados do país.

"No Pará, além de praticar o estupro, ele era muito violento. Era foragido do sistema prisional do Pará, já tinha tentado outras fugas, era de alta periculosidade e foi preso em 2015 por ter matado um policial civil do Pará aqui em Teresina", relatou o gerente de polícia especializada, delegado Matheus Zanatta.

Ainda segundo a polícia, Edivan praticou os crimes em pelo menos quatro estados e agia da mesma forma todas as vezes. Os vídeos dos crimes filmados pelo próprio suspeito ajudaram na identificação das vítimas. Por isso o caso também é investigado pela Delegacia de Repressão a Crimes de Informática.

A polícia informou que os estupros aconteceram no Pará (19 estupros), em Araguaína, no Tocantins, Santa Inês, no Maranhão, Pio IX no Piauí, na capital piauiense, sendo dois deles praticados em menos de 48h. O delegado Daniel Pires informou que o suspeito já estava sendo monitoriado, mas conseguiu cometer mais um crime na noite de sábado (4).

Material apreendido em Teresina com suspeitos de cometer assalto a banco em Pindaré-Mirim, no Maranhão — Foto: Greco/ Polícia Civil do Piauí

“Infelizmente, não conseguimos evitar. Mas ao verificar que o modus operandi dele, que consistia em amarrar as vítimas, colocar uma venda nelas e fazer seus familiares presenciarem a conjunção carnal, pudemos constatar que se tratava da mesma pessoa que teria cometido outros estupros no Tocantins e no Maranhão”, afirmou o delegado Daniel.

Ainda de acordo com o delegado, foram encontrados com o criminoso pedaços de pano usados para amarrar as vítimas e o documento do namorado da vítima estuprada em Araguaína, no Tocantins, além de um aparelho de TV, que foi roubado após a violência sexual.

O autor do crime está agora à disposição da Justiça, e deve permanecer preso no sistema penitenciário até que a investigação seja concluída. Ele foi um dos seis suspeitos de participar de um assalto a uma agência bancária do município de Pindaré-Mirin, no Maranhão.

O Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) pede que outras possíveis vítimas que identifiquem o suspeito entrem em contato através do número (86) 99978-0749, para que possam ser colhidas mais declarações.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing