16/02/2020

Campo Grande e Teresina passam a integrar a Rede Gov.Br

Iniciativa tem como meta acelerar a transformação digital de serviços prestados ao cidadão por estados e municípios.

Página gov,br

As cidades de Campo Grande (MS), e Teresina (PI) passam a integrar a Rede Nacional de Governo Digital – Rede Gov.Br. A iniciativa tem como meta acelerar a transformação digital de serviços prestados ao cidadão por estados e municípios.

“A prefeitura de Teresina, por meio do projeto Teresinense Digital, já está com o processo eletrônico implantado em 90% dos seus órgãos”, conta o prefeito Firmino Filho. “Os processos já são 100% virtuais, sem utilização de papel, com tramitação online. Já estamos disponibilizando vários serviços por meio de aplicativo de celular e de peticionamento eletrônico.”

Em Teresina, já estão online serviços como acesso e recurso às infrações de trânsito; solicitação de limpeza de ruas, fossas, áreas verdes, galerias e praças; demandas dos servidores; alvarás; licenciamentos; solicitação de áreas para eventos. Assim como no Governo Federal, a meta é chegar a 100% o oferecimento de serviços digitais.

Para o secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro, “estamos difundindo em todo o País o quanto é essencial compartilharmos as ferramentas de que dispomos, seja na administração federal, estadual ou municipal”.

Segundo ele, reduzir a burocracia e simplificar a vida do cidadão “são metas diárias desta gestão que acelerou a transformação digital e já atingiu a marca de 54% dos serviços públicos federais com acesso online”.

Serviços online
Desde o último ano, carteira de habilitação digital, certificado internacional de vacinação e profilaxia, por exemplo, já podem ser obtidos via online nos órgãos do Governo Federal. Até 2022, a expectativa é de que todos os 3,3 mil serviços federais já estejam acessíveis na forma digital. 

A economia prevista com 100% de digitalização é de, pelo menos, R$ 6 bilhões por ano. Quem mais poupa é o cidadão que deixa de gastar tempo e recursos próprios no deslocamento pelos órgãos públicos ou no pagamento de despachantes para acelerar o acesso aos serviços. A carteira de trabalho digital, hoje, já pode ser obtida no mesmo dia do pedido. Antes da digitalização, demorava em média 17 dias para ser entregue ao cidadão. 

Com informações do Ministério da Economia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing