04/12/2019

Operação Apocalipse: polícia diz que adulterações em veículo roubados eram 'quase perfeitas' no Piauí

Foram presas 35 pessoas nesta quarta-feira (4). Os presos são suspeitos de integrar dois grupos criminosos voltados para o roubo, furto, receptação e adulteração de veículos em Teresina.

Delegado Everton Férrer, coordenador da Polinter, em coletiva de imprensa na Delegacia Geral da Polícia Civil em Teresina — Foto: Lucas Marreiros/G1

O delegado Everton Férrer, coordenador da Polinter, disse, durante coletiva de imprensa na Delegacia Geral da Polícia Civil, nesta quarta-feira (4), que as adulterações feitas por presos da Operação Apocalipse em veículos roubados eram "quase perfeitas" e que, devido à habilidade, os criminosos eram chamados para atuar em outros estados.

Ao todo, 35 pessoas foram presas durante a operação, deflagrada nesta quarta-feira com objetivo de cumprir 37 mandados mandados de prisão e 26 de busca e apreensão. Os alvos eram suspeitos de integrar duas organizações criminosas voltadas para o roubo, furto, receptação e adulteração de veículos em Teresina.

Polícia recupera motocicletas durante a Operação Apocalipse — Foto: Divulgação/Polícia Civil

"Era uma quadrilha que trabalhava muito perto da perfeição nessa parte de adulteração. As investigações apontam que eles não atuavam só aqui no Piauí, como eram chamados para fazer trabalhos de adulteração fora do estado de tão bons que eram no que faziam", informou o coordenador da Polinter.

Durante o cumprimento dos mandados, a polícia encontrou ferramentas para adulteração de veículos. "Em todas as casas onde cumprimos mandados e encontramos veículos dentro também foi encontrado esse material. Em uma casa, onde foi apreendido um carro, encontramos etiquetas de adulteração do vidro", disse.

"Eram pessoas que sabiam o que estavam fazendo. Prova disso é que hoje nós temos na Polinter 17 motocicletas que não podem ser reveladas, que o perito fez o exame e não se sabe a quem pertence. Que vão ficar lá sem podermos identificar os proprietários", afirmou Everton Férrer.

As prisões aconteceram nas Zonas Sul e Norte de Teresina e nos municípios de Hugo Napoleão, do proprietário de um comércio que realizava a venda de motos adulteradas na região, e em Esperantina, de um suspeito de receptação de carros roubados na Zona Leste de Teresina.

O delegado disse ao G1 que além das adulterações físicas, os veículos eram comercializados com documentação falsa. "O papel utilizado era o de furtos de documentos do Detran que já ocorreram. Eles vendiam para muitas pessoas de boa fé, mas também havia muitas pessoas que furtavam ou roubavam moto, entregavam para eles, eles compravam e depois vendiam para receptores", declarou.

Os presos


Organograma dos alvos da Operação Apocalipse divulgado pela Polícia Civil do Piauí — Foto: SSP-PI

Até as 13h desta quarta-feira, a polícia informou que 35 suspeitos foram presos. Desses, 12 já tinham sido presos ao longo da investigação, que teve início há cerca de um ano e meio. A polícia aguarda que os outros dois alvos da operação se apresentem em breve.

Os envolvidos, segundo a polícia, atuavam em dois grupos separados, mas que, em alguns momentos, se uniam para conseguir repassar os veículos roubados. Uma parte era "especializada" em roubos de carros e outro em roubos de motos. Em um deles, pelo menos sete membros pertencem à mesma família.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing