15/11/2019

Polícia Civil confirma que adolescente morto enquanto fazia tatuagem foi vítima de homicídio

O suspeito de cometer o crime é um jovem que seria um amigo do adolescente.

Hospital Regional Tibério Nunes, em Floriano — Foto: G1

A Polícia Civil confirmou que o adolescente de 16 anos, identificado como Douglas Rodrigues de Sousa, que morreu enquanto fazia tatuagem em si mesmo no município de Floriano, Sul do Piauí, foi vítima de homicídio na madrugada desta quinta-feira (14). O suspeito de cometer o crime é um jovem que seria um amigo do adolescente.

O delegado Bruno Ursulino, responsável pelo caso, informou que a primeira versão apresentada pela família da vítima é que a máquina utilizada para fazer tatuagem explodiu, feriu o adolescente e o levou a óbito. Entretanto, esta versão foi logo descartada, porque na casa não foi encontrado nenhum vestígio de tinta e o equipamento não teria como causar ferimentos.

“Inicialmente foi falado da máquina que teria explodido e que um objeto dessa máquina teria voado e provocado ferimentos na cabeça da vítima, que a levou a morte. Porém, achamos essa história muito estranha. Fomos até o local, realizamos a perícia e constatamos que a versão não batia, tendo em vista que se a máquina tivesse estourado, teria naturalmente caído tinta no local e foi verificado que o equipamento não tinha como causar ferimentos”, explicou.

A companheira da vítima presenciou a morte do adolescente. Ela foi ouvida e a partir do seu depoimento a polícia confirmou que o caso trata-se de um homicídio. O principal suspeito seria um jovem, amigo do adolescente. Conforme a polícia, os dois tiveram um desentendimento por conta de uma arma de fogo.

“Ela viu uma determinada pessoa na janela, conhecida do namorado, e que os dois tinham tido uma desavença recente. Por conta disso, eles acabaram criando uma rixa. O que aconteceu é que os dois viviam no mundo no crime. Eles adquiriram uma arma de fogo e não se entenderam, iniciando ameaças de ambas as partes. A pessoa que estava com a arma foi na casa da vítima, pulou o murro e efetuou o disparo pela janela. A vítima estava se tatuando na perna e o tiro foi atrás na orelha, na região da cabeça”, revelou o delegado.

A companheira da vítima ainda informou, durante o depoimento, que estava com medo do suspeito e por isso falou que a morte do namorado teria sido por conta da explosão da máquina. O suspeito ainda não foi localizado pela polícia. O corpo da vítima foi enviado para o Instituto Médico Legal (IML) de Teresina. As investigações ainda não foram concluídas.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing