23/11/2019

Acusado de atropelar namorada e matar amiga alega não lembrar de acidente, mas assume culpa: 'sou culpado'

Pablo Henrique alegou que apenas se recorda da namorada dançando na festa com outro homem e, depois disso, ele definiu que estava ‘fora de si’.

Pablo Henrique Campos é ouvido durante audiência de instrução — Foto: Reprodução/TV Clube

Aconteceu nesta sexta-feira (22) a audiência de instrução e julgamento de Pablo Henrique Campos, acusado de atropelar a namorada, Anuxa Kelly Alencar e matar a amiga, Vanessa Carvalho. Ele foi ouvido por volta de 13h06, alegou que não se lembrava do fato, confessou ter culpa na morte da jovem e pediu desculpas à família de Vanessa.

"Eu não lembro de ter batido na Vanessa e Anuxa. Meu sentimento é de perda, porque ela [Vanessa] era minha amiga também, conheço os pais dela. Queria pedir perdão, não quero aqui eximir da minha culpa. Sou culpado por isso, mas queria pedir perdão aos pais da Vanessa", declarou Pablo Henrique.

Durante o depoimento, Pablo Henrique alegou que não se lembra de ter saído de carro da festa onde estava com Anuxa e Vanessa, nem de ter retornado. Ele ainda afirmou que não se recorda como chegou até a casa dos pais. Ao chegar na Central de Flagrantes, Pablo contou que foi informado que tinha atropelado uma pessoa.

Em relação à mensagem enviada a Anuxa após o ocorrido, o acusado contou que a conversa foi encaminhada por sua mãe, que segunda ela, a pedido do filho. Pablo ainda relatou que se recorda da namorada dançando da festa com outro homem e, depois disso, ele definiu que estava ‘fora de si’.

Ciúmes

Acusado falou sobre relacionamento com Anuxa e Vanessa — Foto: Reprodução/TV Clube

Pablo Henrique afirmou que o relacionamento entre ele e Anuxa estava passando por problemas. Ele revelou que tinha ciúmes de Anuxa, entretanto, não era ‘doentio’ e que não havia agressões físicas. O acusado informou que tinha o costume de deixar a namorada sozinha no bar para evitar brigas.

Pablo Henrique pontuou que Vanessa não saía muito com o casal e que não interferia no relacionamento entre ele e Anuxa. "Ela andou com a gente poucas vezes, acho que seis vezes. Eu não me lembro de ter jogado um copo de bebida em Anuxa no dia da festa e nem da Vanessa ter chamado ela para ir embora", reiterou.

O Ministério Público do Estado e a defesa pediram um prazo para entregar as alegações finais, que serão em escrito e apresentadas em até 30 dias. Na próxima audiência, será decidido se Pablo Henrique Campos irá para júri popular.

Vítima não se lembra do atropelamento

Vítima Anuxa Kelly depõe em audiência de instrução de Pablo Campos, acusado de feminicídio e tentativa de feminicídio. — Foto: Glayson Costa/G1

Na manhã desta sexta-feira (22), Anuxa Kelly Alencar também foi ouvida. Durante o depoimento, ela afirmou não lembrar-se do momento do atropelamento, que aconteceu na saída de um casamento em que ela, Vanessa e Pablo haviam ido no dia 29 de setembro deste ano. Ela relatou que soube da tentativa de feminicídio apenas quando acordou no Hospital de Urgência de Teresina.

Anuxa relatou durante o depoimento que sofreu fraturas na bacia, lesões na coluna e precisou de 12 pontos de sutura na perna, devido a um ferimento.

Ela disse ainda ter questionado sobre a situação da amiga Vanessa e do namorado, à época, Pablo Campos. Segundo ela, informaram no momento apenas que Vanessa estava em situação "pior" e que Pablo é que fora o autor do atropelamento. Ela disse ainda que questionou se a ação havia sido proposital.

O crime

Carro que teria sido usado no atropelamento foi apreendido pela polícia — Foto: Divulgação/PM

Pablo, Vanessa e Anuxa, segundo a Polícia Civil, teriam ido juntos a uma festa de casamento na noite do sábado (28) em um buffet localizado na Avenida Homero Castelo Branco, bairro Ininga, Zona Leste de Teresina. Na madrugada de domingo (29), o casal teria tido uma briga.

Os três deixaram o local da festa e Anuxa saiu no carro do namorado, mas retornou e entregou a chave a ele. Ela e Vanessa tentavam ir embora no carro de outra amiga quando foram atropeladas.

"Ela não aceitou ir embora com ele. Quando ela estava se deslocando para o outro veículo, ele se direcionou contra Anuxa e a amiga com o carro. Isso tudo conforme a dinâmica vista preliminarmente e com base no relato de testemunhas, de que ele teria acelerado e direcionado o carro contra as duas", relatou a delegada Anamelka Cadena, subsecretária de segurança pública do Piauí.

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que o Jeep Renegade branco deixa o local onde a enfermeira Vanessa Carvalho foi atropelada e morta e a amiga dela, Anuxa Alencar. O homem foi encontrado em casa, dormindo, após o crime.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing