20/09/2019

PI: alunos suspeitos de divulgar fake news são ouvidos na delegacia


Fotos: Roberta Aline

Os três alunos suspeitos de compartilharem ameaças de atentado a uma escola particular de Teresina prestaram depoimento na delegacia do Menor Infrator, no bairro Redenção, na manhã desta sexta-feira (20). Um deles, estava usando a farda do colégio.

Ao falar ao Cidadeverde.com, o dono da escola garantiu que o colégio está sendo vítima de fake news e que irá processar os autores. 

Acompanhados dos pais, os jovens foram ouvidos pela polícia, após serem alvo de queixa formalizada pela direção da escola.

O advogado do colégio, Jorge Wellisson Silva informou ao Cidadeverde.com que a escola acompanhava as ameaças desde o início quando um boletim de ocorrência foi registrado. 

"Tivemos conhecimento depois que as mensagens já estavam circulando", disse o advogado.

Os alunos são do 8° ano, do Ensino Fundamental 2. Eles são alunos antigos da escola. Segundo um funcionário e sócio da escola, que não quis se identificar, dois dos alunos envolvidos foram expulsos este ano por indisciplina. Um dos envolvidos nas ameaças ainda estudava no colégio. 

"A polícia vai ouvir os menores para saber a magnitude do caso. Um fato desses não pode ficar isolado. Temos que trazer essas pessoas à responsabilidade. O colégio está um verdadeiro estado de pânico", disse Jorge.



Indícios
Mesmo se tratando de uma suspeita de boato, o reforço na segurança na escola não foi descartado pelos indícios de que o grupo poderia ter efetivado as ameaças. "Se fosse apenas uma brincadeira, eles teriam parado de compartilhar mas continuaram compartilhando", relatou o advogado.

Expulsão
O terceiro aluno suspeito de estar envolvido na publicação das ameaças deverá ser expulso da escola. "Como ele infringiu o regimento da escola, vamos conversar com os pais sobre a permanência dele no colégio", adiantou Jorge.

"Brincadeira de mau gosto", relata mãe

Após serem ouvidos na Delegacia do Menor Infrator, dois dos alunos suspeitos de compartilharem ameaças de um atentado, afirmaram se tratar de uma brincadeira que vazou na internet. Os alunos envolvidos tem 13, 15 e 17 anos. 

Envergonhada, a mãe de um dos meninos lamentou o ocorrido. "Quero pedir desculpas a direção da escola pelo meu filho. Pedir desculpa aos pais, porque eu como mãe também ficaria nervosa. Mas fiquem tranquilos porque foi uma brincadeira de mau gosto, não tem arma nenhuma", disse a mãe que não quis se identificar.

Os alunos confirmam a versão. Eles relatam que as ameaças eram um espécie de ficção dentro de um grupo de alunos do colégio. "Era só uma brincadeira. Ninguém ia fazer nada. Os caras pegaram e saíram compartilhando nos outros grupos", disse um dos jovens, de 17 anos, que saiu da escola no início do ano. 

A mensagem de ameaça foi criada no domingo, dia 15. Segundo dois dos adolescentes, o terceiro, de 15 anos havia proposto a "brincadeira" para os dois. O de 13 anos baixou a imagem da arma na internet e em seguida registraram a mensagem e compartilharam como se estivessem recebido a ameaça de outras pessoas.

Uma estudante que estava no grupo onde foi compartilhada a imagem da ameaça, relatou para funcionários da escola a suspeita de ataque. 

Cuidado
Para as mães dos adolescentes, a situação é constrangedora. "Eu nunca entrei numa delegacia. A gente tenta conversar com eles mas nem sempre eles ouvem. Agora é abrir ainda mais os olhos", disse a mãe do jovem de 17 anos. 

"Esse aqui não pega em celular tão cedo", disse a mãe do de 13 anos que prestou depoimento fardado. Ele foi a escola nesta sexta-feira (20), data em que o ataque ocorreria, segundo a ameaça.

Flash Valmir Macêdo
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing