29/09/2019

Médicos mantém protocolo e jornalista Egídio Brito continua internado no hospital


Foto: Reprodução Facebook Egidio Brito

Os médicos continuam com os protocolos de exames para acompanhar o quadro de saúde do jornalista Egídio Brito. O diagnóstico é de morte cerebral (o cérebro não reage aos estímulos médicos), mas o coração e outros órgãos continuam funcionando. Os aparelhos não foram desligados porque ainda há vida. 

Na noite de ontem(29), protocolos confirmavam que ele reagia ao quinto item de exame. Ele permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e às 16h será divulgado um novo boletim médico para a família. 

Amigos e familiares pedem que as pessoas reforcem as orações.

Matéria original
O jornalista Egídio Brito, 32 anos, teve morte cerebral confirmada neste domingo (29), após ser diagnosticado por uma forma severa de meningite meningocócica. Ele está com morte encefálica (o cérebro não reagiu aos estímulos médicos), mas outros órgãos continuam funcionando. Os aparelhos não foram desligados até a noite deste domingo. Os amigos na rede social pedem orações. 

Egídio está internado no hospital Unimed desde sexta-feira (27), depois de sentir fortes dores no corpo e ter crise de vômitos. A doença repentina do jornalista causou comoção na cidade. Egídio Brito já fez parte do time de repórteres do grupo Cidade Verde, onde fez muitos amigos. Há uma comoção geral nas redes sociais. 

Meningite
A meningite é uma inflamação das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. A doença, que é contagiosa, pode ser causada por vírus ou por bactéria, que é mais grave. A melhor forma de prevenção é por meio de vacina. 

De acordo com site do médico Dráuzio Varela, a meningite meningocócica pode levar à morte entre 24 e 48 horas a partir do aparecimento dos primeiros sintomas, que são: fraqueza, febre, dor de cabeça, vômitos e, na sequência, rigidez na nuca. O risco de morte é de 10% a 20%, e em caso de sobrevivência, a doença pode deixar sequelas graves, como surdez e debilidade motora.

Há 12 tipos de meningococos; no Brasil, o mais comum é o tipo C (80% dos casos), seguido do tipo B. Os tipos A, W e Y são menos frequentes. Por isso, a vacina quadrivalente (que cobre os tipos A, C, W e Y). Já a contra o tipo B não é oferecida pelo SUS, apenas por clínicas particulares.

Última atualização
A assessoria do Hospital informou que o jornalista Egídio Brito permanece internado na UTI e oficialmente sua morte não foi confirmada. O quadro é de morte cerebral e os médicos continuam com os protocolos de exames e em contato direto com a família. 

Yala Sena e Caroline Oliveira
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing