28/07/2019

Clandestinidade manterá Peste Suína Clássica no PI, diz presidente de cooperativa


Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

O presidente da Cooperativa Piauiense de Suinocultura, Jesus Rodrigues, afirmou ao Cidadeverde.com que enquanto ouvir a presença de suínos caipiras haverá possíveis focos da Peste Suína Clássica (PSC) no Piauí. Até o dia 06 de julho deste ano, 16 focos foram confirmados pela Agência de Defesa Agropecuário do Piauí (Adapi) espalhados por sete municípios.

Se por um lado a presença da doença assustou principalmente os consumidores da carne, pelo outro, segundo Jesus Rodrigues, as restrições diante da doença e o aumentou da fiscalização provocaram a melhoria na qualidade do produto, mesmo diante do sacrifício de alguns animais doentes. Segundo a Adapi, mais de 3500 animais já foram mortos por causa da doença. 

Para Rodrigues, a presença da doença obrigou o Estado, por meio da Adapi, a disciplinar a venda do suíno em território piauiense, em especial o clandestino, quando o animal é criado e abatido sem seguir regras mínicas de higiene, por exemplo. 

"Enquanto existir a criação do suíno caipira, sem técnica, sem regra, sendo criado de qualquer forma, alojado em qualquer local, se alimentado do que for possível, sempre haverá o grande risco de ter focos", disse o presidente da cooperativa. 

Ele contou que hoje, após a descoberta dos focos da PSC, o suíno criado com regras, seguindo os critérios da Vigilância Sanitária, saem dos criadores diretamente para os abatedores cadastrados no Governo do Estado e, após abate adequado, seguem para o ponto de venda final, como supermercados e frigoríficos. Antes o animal saía vivo do criadouro e iria para qualquer lugar. 

"Essa questão traz uma segurança para o consumidor. Infelizmente, a capacidade do Estado de fiscalização não é tão ampla. Em um momento de crise, de surgimento de focos, há essa concentração no foco, convocam técnicos, mas essa fiscalização ainda assim não é tão intensa como se deveria ser. A fiscalização é importante não só na questão dos suínos, mas pela questão geral das carnes para que o Estado dê segurança à população de que ela está consumindo uma carne de qualidade ", comentou. 

Municípios com registro de focos:

• Brasileira
• Cabeceiras do Piauí
• Domingos Mourão
• Lagoa do Piauí
• Milton Brandão
• Murici dos Portelas
• São João do Arraial


Fonte: Adapi

A última nota técnica da Adapi, divulgada no início de julho, destacou, além dos focos confirmados, que " foram realizadas 79 investigações de suspeitas de ocorrência de PSC. Destas, 22 foram não fundamentadas e 57 fundamentadas. Dentre as últimas, 40 apresentaram diagnóstico negativo para PSC e um está aguardando laudo laboratorial".
Sobre os casos, o diretor da Adapi, Idílio Moura, comentou que não há previsão para erradicar a doença no Piauí. No entanto, "as notificações suspeitas estão reduzindo. Acreditamos que em breve estaremos com a situação controlada". 

A PSC acomete somente o porco e javali. Logo, não é uma zoonose. A Adapi divulgou em nota técnica que "continua atenta ao surgimento de novos casos e informa que todas as medidas mitigatórias estão sendo tomadas para o controle da doença", 

" As medidas para contenção dos focos e eliminação da doença seguem as orientações da Instrução Normativa SDA Nº 27, de 20 de abril de 2004, que aprova o Plano de Contingência para PSC. Neste sentido, são estabelecidas zonas de vigilância para investigação epidemiológica, restrição do trânsito de suínos, produtos e subprodutos, e eliminação dos animais afetados, assim como outras medidas", finaliza a nota.

Carlienne Carpaso
carliene@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing