19/06/2019

Fiscais da Cepisa são presos suspeitos de fraudar laudos para ocultar furto de energia

A Cepisa informou ao G1 que assim que soube do caso, informou à Polícia Civil e que os colaboradores envolvidos deverão ser demitidos por justa causa.

Delegado Laércio Evangelista. — Foto: Catarina Costa/G1

Três funcionários da Cepisa, distribuidora de energia elétrica no Piauí, responsáveis por coibir "gatos", as gambiarras na rede elétrica, foram presos nesta terça-feira (18) suspeitos de furto de energia e prevaricação. Segundo a Polícia Civil, eles emitiram laudos falsos informando que o medidor de energia da casa de um deles estava normal, quando na verdade estava adulterado.

Segundo o delegado do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO), Laércio Evangelista, dois funcionários estavam fazendo a fiscalização no bairro Parque Piauí, Zona Sul de Teresina e quando chegaram à casa de outro colega da empresa constataram irregularidades no medidor e deixaram de autuar o homem, emitindo um laudo falso.

"Um dos funcionários estava com uma fraude no medidor e quando ele ficou sabendo que haveria fiscalização no bairro dele, no Parque Piauí, pediu ao colega de equipe para que fosse lá e dissesse que estava tudo certo com o medidor, fazendo um lado dizendo que o medidor estava sem problemas", explicou.

O delegado Laércio Evangelista disse que diante da ação, dois suspeitos foram autuados por prevaricação, que consiste em "deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal", previsto no artigo 319 do Código Penal, e furto qualificado.

Os suspeitos não tiveram os nomes divulgados. O funcionário que responde por furto qualificado passará por audiência de custódia nesta quarta-feira (19). Os outros dois presos por prevaricação foram autuados e liberados.

A Cepisa informou ao G1 que assim que soube do caso, informou à Polícia Civil e que deverá fazer a demissão por justa causa dos colaboradores envolvidos no caso. Leia a íntegra da nota:

Nota de Esclarecimento

A Equatorial Energia Piauí informa que, ao tomar conhecimento de suspeita de furto de energia contra colaborador, terceirizado, formalizou notícia-crime junto à Polícia Civil.

No final da tarde de ontem (18), em operação conduzida pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO), o colaborador foi preso em flagrante depois de constatada a irregularidade no equipamento de medição do seu domicílio.

No momento da prisão, ele denunciou a participação de dois colaboradores, contratados de empresa prestadora de serviços à distribuidora, que também foram detidos na ação policial. A Empresa esclarece que tem acompanhado as investigações da Polícia e que já solicitou o desligamento por justa causa dos colaboradores envolvidos.

A Equatorial Energia Piauí faz valer um rígido código de ética para seus colaboradores próprios e terceirizados e não compactua em nenhuma hipótese com práticas como a que levou essas três pessoas à prisão.

A Concessionária ressalta que o furto de energia é um crime, previsto no Código Penal brasileiro, que prejudica a toda a sociedade, impactando na qualidade e na segurança do fornecimento de energia elétrica, além de comprometer a arrecadação de impostos que poderiam ser aplicados em áreas essenciais como saúde e educação.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing