11/04/2019

Condenado por estupro coletivo em Castelo se envolve em briga e mãe fica ferida

Resultado de imagem para giro flex
Imagem ilustrativa

Um dos condenados de praticar estupro coletivo em Castelo do Piauí, Bento Fernando Oliveira, se envolveu em uma confusão na noite dessa quarta-feira (11). Segundo a Polícia Militar, o marido de uma mulher da região foi tirar satisfações com o jovem após ter conhecimento que ele estaria assediando sua esposa. 

O caso aconteceu no bairro Vila Nova, em Castelo do Piauí, e os envolvidos são vizinhos. O sargento F. Gomes, comandante da Polícia Militar em Castelo do Piauí, informou ao Cidadeverde.com que o marido da mulher invadiu a casa de Bento e tentou esfaqueá-lo. No entanto, a mãe do acusado do estupro coletivo tentou defender o filho ficando na frente dele e sofreu um corte na testa. 

O corte não foi grave, mas a testa da mãe teve que ser suturada com dois pontos. “Bento e o marido da mulher entraram em luta corporal. A mulher contou para o marido que o Bento estava dando em cima dela e ele resolveu ir até a casa de Bento com uma faca. Não foi nada relacionado ao caso do estupro coletivo”, conta o sargento F. Gomes.

Ninguém foi preso
Segundo o delegado de Castelo do Piauí, Aldeli Fontenele, a mãe de Bento foi nesta quinta-feira (11) à delegacia prestar queixa contra o homem que a esfaqueou. Bento, por sua vez, não compareceu ao distrito para registrar a ocorrência. 

“Vamos investigar o ocorrido e saber o que motivou essa briga. Acredito que ele não tenha vindo com a mãe para se preservar depois do ocorrido aqui antigamente”, disse o delegado.

Barbárie 
Quatro adolescentes com idades entre 15 e 17 anos foram raptadas e estupradas em Castelo do Piauí no ano de 2015. Uma delas, Danielly Rodrigues Feitosa, morreu.

As meninas foram agredidas com pedras e golpes de facas, além de terem sido estupradas, amarradas com as próprias roupas e jogadas do alto de um barranco.

Cinco pessoas foram condenadas, três dos quatro adolescentes, incluindo Bento, que na época do crime era menor de idade, cumpriram medidas socioeducativas. 

O outro, Gleison Vieira da Silva de 17 anos, foi morto pelos colegas dentro do alojamento do Centro Educacional Masculino, após confessar o crime e entregar os demais. 

O quinto envolvido, Adão José de Sousa, de 43 anos, foi condenado em fevereiro do ano passado a 100 anos e 8 meses em regime fechado por ter sido considerado o mentor do estupro coletivo. O caso ganhou repercussão nacional e chocou os piauienses. 

Izabella Pimentel
redacao@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing