29/01/2019

Idepi monitora 11 barragens do Estado e descarta risco de rompimento

Monitoramento se tornaram mais frequentes no período chuvoso, principalmente nas barragens de Bezerro e Emparedado

Medium empa

As onze barragens de responsabilidade do Governo do Estado passam por monitoramento regularmente. A informação é do presidente do Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi), Geraldo Magela, que na tarde desta segunda (28) participou de audiência com a governadora em exercício, Regina Sousa.

“Já fazíamos o controle permanente das barragens, com atenção especial para Bezerro, em José de Freitas; e Emparedado, em Campo Maior”, explica, enfatizando que nestas duas, o controle e monitoramento é mais frequente. “Neste domingo, o diretor de Engenharia do Idepi esteve em José de Freitas, vistoriando a barragem do Bezerro e nesta segunda, a vistoria foi realizada na barragem do Emparedado, em Campo Maior”, diz.

Magela informa ainda que já está na fase final, o processo licitatório para contratação da empresa que fará as obras de recuperação das duas barragens. “Até a próxima semana será divulgado o resultado dos dois certames”, diz.

Em José de Freitas serão investidos cerca de RS 16 milhões. “Será feita a total recuperação da parede, do sangradouro e de toda área da bacia hidrográfica que alimenta a barragem, além da iluminação da parece”, ressalta, explicando ainda que na barragem do Emparedado serão aplicados R$ 4 milhões.

Geraldo Magela esclarece que a barragem do Bezerro, na situação atual, não apresenta risco devido o trabalho realizado em 2018 pelo Idepi, que fez o rebaixamento do sangradouro. “Portanto, não vai atingir a cota máxima”, explica, enfatizando que o Idepi está trabalhando na construção das barragens de Atalaia, em Corrente; e Ciro Nogueira, localizada no município de Brasileira.

Barragem do Caldeirão
De responsabilidade do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), a Barragem do Caldeirão, em Piripiri, também está sendo monitorara pelos órgãos públicos. O reservatório funciona em conjunto com a PI-237, rodovia importante da região. Identificados em visita técnica ainda em dezembro de 2018, desgastes estruturais por conta do período chuvoso já foram reparados e uma obra de drenagem lateral deverá ser feita em parceria com o Departamento de Estradas e Rodagens, órgão estadual responsável pela rodovia.

O coordenador Nacional do Dnocs, Djalma Policarpo, assegura a segurança da estrutura. “O DER fará a drenagem do coroamento das ombreiras da barragem. Houve um problema na crista e o DER fará as drenagens transversais. O Dnocs tem R$ 1 milhão em obras civil e hidromecânicas. A população de Piripiri pode ficar tranqüila porque as medidas estão sendo tomadas para manter a segurança do reservatório e da população que vive ao entorno da obra”, garantiu.

Tráfico de carretas
O Poder Público orienta para que seja evitado o tráfico intenso de carretas e cargas pesadas com destino a Lagoa do São Francisco pela parede da barragem do Caldeirão.

Alerta no período chuvoso
A orientação da governadora é de diligência das instituições públicas para o período chuvoso. “Um alerta que Minas Gerais nos deu. Período chuvoso, em dezembro já iniciamos as visitas. Toda a atenção para as barragens vai ser dada nesse momento”, garante.

Fonte: Com informações da Ccom

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing